TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
na argentina

Vídeo: confira o momento exato da prisão do casal Braiscompany

O casal foi detido na localidade de Escobar, Província de Buenos Aires

Por Carlos Rocha Publicado em
Prisao casal ais
Vídeo: confira o momento exato da prisão do casal Braiscompany (Foto: Reprodução/ Instagram)

O Ministério de Segurança da Argentina divulgou, nesta sexta-feira (1º) em suas páginas oficiais nas redes sociais os momentos da prisão de Antonio Ais e Fabrícia Campos, conhecidos como casal Braiscompany. Segundo a publicação oficial, a Interpol e a Polícia Federal Argentina prenderam os brasileiros condenados por um esquema que acumulou mais de 400 milhões de dólares em criptomoedas.

"Através da Interpol PFA, prendemos um dos principais golpistas do Brasil e sua esposa. Ambos estavam sendo procurados internacionalmente há um ano devido ao seu envolvimento em um elaborado esquema Ponzi que acumulou mais de 400 milhões de dólares em criptomoedas", diz a publicação oficial do Ministério de Segurança da Argentina.

A captura foi possível graças a tarefas de inteligência que permitiram descobrir a identidade falsa adotada por Antonio Ais quando entrou no país. O casal foi detido na localidade de Escobar, Província de Buenos Aires, após a polícia rastrear suas despesas e movimentos.

A Polícia Federal brasileira realizou uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira (1º), em João Pessoa, para detalhar as prisões de Antonio Ais e Fabrícia Campos, presidentes da Braiscompany, efetuadas na última quinta-feira (29). Segundo a PF, o casal utilizou documentos de parentes para cruzar a fronteira para a Argentina e residia em um condomínio de luxo na cidade de Tigre.

O processo de extradição já foi iniciado e deve durar aproximadamente três meses para ser concluído.

Antônio Neto e Fabrícia Campos já foram condenados por crimes contra o sistema financeiro, com penas de 88 anos e 7 meses de prisão para Antônio, e 61 anos e 11 meses para Fabrícia. Outros nove réus também foram condenados.

O casal era considerado foragido desde fevereiro de 2023, quando ocorreu a primeira fase da Operação Halving da Polícia Federal, que investigou crimes contra o sistema financeiro e o mercado de capitais.

A operação teve como alvo a sede da Braiscompany e locais associados em Campina Grande, João Pessoa e São Paulo. Cerca de R$ 15,3 milhões foram bloqueados em contas ligadas à empresa, que movimentou aproximadamente R$ 1,5 bilhão nos últimos quatro anos, segundo a Polícia Federal.

Em uma entrevista exclusiva à TV Tambaú/SBT, uma ex-funcionária da Braiscompany detalhou a rotina dentro da empresa especializada em gestão de ativos digitais e soluções em tecnologia blockchain. A ex-funcionária relatou atrasos nos salários e um ambiente de megalomania, com os donos Antônio e Fabrícia buscando constantemente o centro das atenções.



Relacionadas