Paraíba

Licitação de quase R$ 500 mil em iPhones para vereadores de João Pessoa causa polêmica

Dois parlamentares se posicionaram contrários à licitação e sugeriram o uso do recurso em compra de vacinas

Publicado em 30/03/2021 21:30 Atualizado em 30/03/2021 22:50
logo
Por Carlos Rocha
Licitação de quase R$ 500 mil em iPhones para vereadores de João Pessoa causa polêmica

Não bastando os altos salários, a nossa classe política conta também com uma estrutura, isso em todas as esferas. Na Câmara Municipal de João Pessoa, uma licitação, em especial, vem chamando a atenção da população. É sobre a disponibilidade de celulares e linhas telefônicas para os vereadores, mas o valor chocou muita gente, quase meio milhão de reais.

A disposição de celular moderno, com linha telefônica de ligações e consumo de internet ilimitados. Essa não é uma realidade da grande maioria dos pessoenses que enfrentam o momento mais grave da pandemia e todas as consequências econômicas. mas através dos impostos essa mesma população que enfrenta crise garante conforto aos vereadores de João Pessoa.

Em uma licitação lançada neste ano, a câmara municipal prevê a disponibilização de 35 aparelhos para os 27 vereadores e 8 funcionários da casa. Um gasto de quase meio milhão de reais para o período de dois anos. Com os valor dessa licitação lançada pela câmara, só com celular seriam gastos quase R$ 500 por mês para cada vereador, que já recebe um generoso salário de R$ 15 mil.

A licitação chegou a virar assunto durante uma das sessões remotas da câmara neste mês. Os vereadores Junio Leandro (PDT) e Marcos Henriques (PT) se manifestaram contrários à contratação do serviço e sugeriram que o valor fosse doado para a compra de vacinas contra a covid-19.

"Eu queria também saber se essa história que rolou aí na imprensa. É verdade que a mesa comprou gastou quase meio milhão compra de celular? Eu acho importante a gente poder identificar isso para poder juntar um recurso e poder doar a Prefeitura Municipal de João Pessoa para compra de vacinas. Acho que, nesse momento, o que a gente tá precisando são vacinas", disse o vereador petista.

Ainda na mesma sessão, o presidente da Câmara, Dinho, rebateu questionamento do vereador justificando que a prática já acontece na casa.

"Se trata apenas de uma renovação. Esse contrato tem desde a época de Durval Ferreira, a gente não inventou a roda e o contrato é um contrato mensal, de uma operadora que vai haver uma licitação e não existe aquele valor, que é um valor de dois anos acumulados", explicou.

Após a repercussão do caso, a Câmara Municipal de João Pessoa divulgou uma nota tentando justificar, mas mesmo com o montante sendo de dois anos, cada aparelho teria um custo mensal de R$ 495,00 por vereador. Valor cerca de quatro vezes maior que um plano convencional no mercado atualmente. Outro ponto que a nota esclarece é que essse é o valor referente ao serviço e que os aparelhos seriam "emprestados" pela operadora e devolvidos posteriormente pelso parlamentares.

Leia também:

Licitação de quase R$ 500 mil em iPhones para vereadores de João Pessoa causa polêmica

João Pessoa: homem preso no dia do aniversário em 2019 é detido pelo mesmo crime em 2021

Após 101 anos, Jornal do Commercio deixa de circular na versão impressa

Criança que foi castigada sendo impedida de entrar em casa é retirada da família na PB

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play