Paraíba

Bancários protestam contra demissões e fechamento de agências do Banco do Brasil na PB

A pauta principal é a indignação da categoria acerca da reestruturação anunciada pela direção do banco

Publicado em 20/01/2021 21:00 Atualizado em 21/01/2021 08:04
logo
Por Carlos Rocha
Bancários protestam contra demissões e fechamento de agências do Banco do Brasil na PB

Bancários de agências do Banco do Brasil em João Pessoa anunciaram um protesto que deve acontecer nesta quinta-feira (21), na capital. A pauta principal é a indignação da categoria acerca da reestruturação anunciada pela direção do banco. Segundo o sindicato, a ação deve resultar na demissão de mais de 5 mil funcionários e fechar mais de 300 agências em todo o país.

Ainda de acordo com o sindicato, na Paraíba serão três agências fechadas, em João Pessoa e Campina Grande. Além de atos nas unidades do banco, os trabalhadores também realizam tuitaço, a partir das 11h com a hashtag #MeuBBValeMais. 

O Dia Nacional de Lutas é uma das iniciativas aprovadas em reunião da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB). Também está sendo proposta uma paralisação nacional dia 29 com decretação do estado de greve. A indicação da CEBB é que no dia 29 seja realizada uma paralisação nacional de 24 horas. 

O sindicato informou que, na Paraíba, atualmente, apenas 67 agências funcionam, juntamente com 36 postos de atendimentos (PAAs). O banco não revela quantas agências serão fechadas no estado, mas segundo os próprios funcionários, a previsão é que os locais encerrados sejam: a agência Parque Solon de Lucena, localizada no bairro de Tambiá e a agência do Jardim Cidade Universitária, ambas em João Pessoa. Já em Campina Grande, a agência Jardim Paulistano, na Avenida Assis Chateaubriand será encerrada.

"O Banco do Brasil é um das estatais mais antigas do país. Tem uma história de 212 anos de serviços prestados à sociedade brasileira, é uma empresa pública que tem uma função social bem definida, gera lucros para o governo e não pode ser atacado assim dessa maneira, através de uma reestruturação que vai prejudicar o povo, a economia e o desenvolvimento das cidades. O seu quadro funcional está defasado e não pode abrir mão de 5 mil funcionários. Se as filas já são enormes, imagine quando o BB tiver menos funcionários, menos caixas e menos agências. Então, qualquer mudança no seu quadro funcional tem de ser negociada com os sindicatos da categoria, conforme o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente", explicou o presidente do Sindicado dos Bancários da Paraíba.

Leia também:

Atrizes compartilham com fãs alegria após tomarem vacina contra o Covid-19; veja

Governo Federal anuncia reabertura do concurso do Depen; confira

Filha de jogador de futebol morre após ser atingida por armário que desabou de parede

Pelo WhatsApp: Sebrae oferta cursos gratuitos de Empreendedorismo

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play