Paraíba

Justiça do Trabalho concede liminar e suspende interdição do IPC em JP

O espaço havia sido interditado na semana passada por determinação do Ministério Público do Trabalho (MPT-PB)

Publicado em 13/03/2018 16:13 Atualizado em 26/11/2020 12:55
logo
Por Redação Portal T5
Justiça do Trabalho concede liminar e suspende interdição do IPC em JP

Instituto de Polícia Científica (IPC), em João Pessoa
Instituto de Polícia Científica (IPC), em João Pessoa Foto: Reprodução / Internet

A Justiça do

Trabalho concedeu uma liminar, nesta terça-feira (13), suspendendo por

120 dias a suspensão dos serviços no Instituto de Polícia

Científica da Paraíba. O espaço havia sido interditado na semana

passada por determinação do Ministério Público do Trabalho

(MPT-PB)

Na decisão, a juíza

titular do trabalho, Herminegilda Leite Machado, estabeleceu um prazo

para que o Governo do Estado cumpra as normas de segurança e saúde.

Com a decisão, os serviços voltarão a funcionar normalmente.

"A concessão

da liminar em nada exaure a pretensão do requerente, pois não se

está a declarar a nulidade

do ato administrativo, mas apenas a suspender os seus efeitos por um

prazo a seguir fixado", diz o documento.

Ao Portal T5, o diretor geral do IPC Israel Aureliano diz que é importante que eles estejam trabalhando no prédio, já que isso não impede de serem realizadas as reformas e adequações previstas.

"Então pra gente, estar aqui dentro é mais conveniente do que como estávamos, mas desde que fique bem claro que as reformas sejam feitas. Até porque a liminar não exime o Estado desta responsabilidade, apenas dá um prazo, que, entendo eu, é mais justo com a população, para atender à demanda que existe", explica.

Relembre o caso:

A interdição aconteceu na última terça-feira (06) por determinação do Ministério Público do Trabalho (MPT). A medida foi tomada após a constatação de diversas irregularidades na sede do órgão durante  fiscalização e denúncia feita pelo Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado da Paraíba (Sindiperitos-PB).

Foram encontradas os seguintes pontos:

- Risco iminente de incêndios, de acidentes de trabalho e de contaminação para profissionais e usuários dos serviços.

- Garagem improvisada como sala de espera para idoso e pacientes com câncer no setor de emissão de carteiras de identidade.

- Ossadas e cadáveres expostos (presença de moscas)

- Rabecões quebrados expostos

- Vísceras mal acondicionadas.

- Esgoto a céu aberto

- Líquidos cadavéricos, sangue e outras substâncias contaminadas escorrendo pelo local de trabalho

- Peritos, médicos e outros profissionais de saúde realizam necrópsia de cadávares sem utilização de equipamentos de proteção individual (EPI), inalando gases e outras substâncias tóxicas.

- Funcionários e terceirizados expostos a vários tipos de doenças

- Prédio sem gerador de energia: na falta de luz, câmaras descongelam e líquidos dos corpos escorrem pelo local;

- Câmeras frigoríficas sem manutenção adequada;

- Materiais biológicos armazenados em potes de margarina;

- Extintores irregulares ou vencidos;

- Laboratório de balística com várias irregularidades (falta de higiene, de EPI's, peritos expostos ao chumbo e outros materiais tóxicos, coletes à prova de bala vencidos, cabine de tiro inadequada)

- Presença de escorpiões em alojamentos;

- Várias irregularidades no Laboratório de DNA com riscos de comprometimento das perícias. Relato até da presença de ratos.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play