Brasil

Golpes no Brasil e no Afeganistão dão o tom das notícias falsas da semana

Neste A Semana em Fakes, Edgard Matsuki, editor do Boatos.org, relembra como a ameaça de um golpe no dia 7 de setembro no Brasil e a tomada de poder pelo Talibã no Afeganistão deram o tom da desinformação da semana.

Publicado em 28/08/2021 20:18 Atualizado em 28/08/2021 20:35
logo
Por Boatos.org
A Semana em fakes - 7 setembro e Afeganistão

A Semana em fakes - 7 setembro e Afeganistão (Foto: Reprodução/Twitter @NicolaCareem)

Quem acompanha o fluxo da desinformação na internet (seja desmentindo boatos ou participando de diversos grupos de WhatsApp) deve ter percebido que cada vez menos temos visto novas mensagens de cunho duvidoso sobre a pandemia (a desinformação sobre o assunto se restringe a mensagens repetitivas e já desmentidas como essa, essa e essa).

A queda nas fake news sobre a Covid-19 não significa que não tivemos desinformação na semana. Significa apenas que o foco de quem espalha fake news por aí mudou para uma ameaça de golpe no Brasil e o golpe dado no Afeganistão.

Fake news que viralizaram no início da semana focavam na incitação de uma grande paralisação de caminhoneiros e uma manifestação que resultaria em uma intervenção militar em 7 de setembro (algo que, como apontamos no último A Semana em Fakes, tem chances nulas de serem colocadas em prática em um momento como esse).

Para inflamar a minoria barulhenta que apoia um golpe no Brasil, surgiram notícias falsas sobre uma grande “greve de caminhoneiros” pedindo intervenção militar (desmentimos o fake aquiaqui e aqui), que Bolsonaro iria criar um Tribunal Militar para “julgar outros poderes”, que o vice Hamilton Mourão havia convocado as pessoas para a manifestação, que a ministra da Agricultura Tereza Cristina havia feito o mesmo e, por fim, a prisão do cantor Sérgio Reis (que chegou a falar sobre a “greve dos caminhoneiros”) havia sido decretada.

De uma hora para outra e diante reações negativas relacionadas às mobilizações, o assunto cessou (não sem antes a Polícia Federal, a pedido da PGR e com autorização do STF, deflagrar uma operação para investigar o movimento na internet que promovia e incitava para uma “revolta” em 7 de setembro) e deu lugar para outro tema.

Desta vez, um golpe “bem-sucedido” suscitou notícias falsas na web. A tomada de poder no Afeganistão por parte do Talibã após os Estados Unidos declararem que tropas militares deixarão o país e todo o temor do que pode ocorrer por lá fizeram com que vídeos e fotos fora de contexto começassem a circular na internet.

Três imagens foram falsamente atribuídas à situação no país. Uma delas mostrava um avião lotado de pessoas. Apesar de, de fato, aviões estarem saindo abarrotados de gente do país, a foto em questão era das Filipinas. Já um vídeo mostrava uma mulher sendo executada em via pública. O vídeo era da Síria. Outra filmagem atribuída ao Talibã apontava para a execução de diversos homens. Também se tratava de um vídeo gravado há anos na Síria.

Dentre todas as informações falsas, uma chamou atenção: a de que “229 cristãos já estavam sendo condenados à morte no Afeganistão”. Além de a informação ser falsa, se tratava de uma nova versão de uma fake news já desmentida algumas vezes no Boatos.org.

Milhares de quilômetros e de elementos separam (felizmente) a situação que vivemos no Brasil e no Afeganistão. É uma pena que uma semelhança entre os “levantes golpistas” (o bem e o malsucedido): nos dois casos, há gente tentando confundir a realidade para tentar levar algum tipo de vantagem.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play