Paraíba

Polícia detalha prisão do suspeito de esconder dinamite e integrar quadrilha especializada em roubo a bancos

Investigações indicam que o homem é um dos membros mais violentos da organização criminosa.

Publicado em 18/04/2021 09:36 Atualizado em 18/04/2021 09:46
logo
Por Redação Portal T5
Prisão do suspeito foi realizada em Gramame, na capital paraibana

Prisão do suspeito foi realizada em Gramame, na capital paraibana (Imagem: Divulgação / Polícia Civil de Campina Grande)

Uma operação da Polícia Civil resultou na prisão o homem suspeito de envolvimento com roubos a bancos em vários estados da região Nordeste. O criminoso conhecido popularmente como “Alan Capacete”, é  apontado como o responvável pelo enterro de 200 bananas de dinamites na zona rural de Santa Cecília, na Paraíba. Na ocasião - registrada em janeiro deste ano - foi apreendido um fuzil calibre .50. 

A prisão foi realizada neste sábaod (17) em João Pessoa por equipes da Delegacia de Roubos (DRF) de Campina Grande, no Agreste do estado. O suspeito estava em uma residência em Gramame, na região Sul da cidade. Contra ele havia dois mandados de prisão expedidos pela comarca de São Paulo do Potengi (RN) e pela Vara de Execuções Penais de Campina Grande.

De acordo com o delegado Diego Beltrão, o homem era quem estava acompanhado de por outro suspeiro de ter envolvimento no mesmo tipo de crime, roubo a bancos.

“Alan só não foi preso no mesmo dia da prisão de Junior Lira porque apresentou documentação falsa, o mesmo documento, inclusive, que exibiu hoje às nossas equipes em João Pessoa. Como nós já sabíamos dessa manobra, ele não teve como escapar dessa vez”, disse o delegado.

No imóvel, não foi encontrado nada irregular, a não ser o falso documento de identidade apresentado pelo foragido da justiça. No entanto, no decorrer das investigações, outra equipe se deslocou até um sítio no Distrito de Catolé de Boa Vista, zona rural de Campina Grande, e encontrou duas munições de calibre .50, as mais utilizadas nos roubos a bancos e carros-fortes. 

"Durante o interrogatório, o homem preso não quis dizer por que aquele tipo de munição estava naquela propriedade, já que as investigações apontam ter partido de Alan a informação do local exato onde estavam os artefatos estavam escondidos", copmpleta o relato da polícia. 

Violência e persuasão 

As investigações indicam ainda que Alan é um dos membros mais violentos da organização criminosa. Seria dele também a tarefa de arregimentar novos criminosos para compor a quadrilha, que atua em toda a região Nordeste.

Além de a Polícia Civil cumprir o mandado de prisão contra Alan Capacete, ele foi autuado em flagrante por uso de documento falso e posse ilegal de munição de uso restrito. 
 

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play