TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
INDICAÇÕES DE ESPECIALISTAS

Saiba quais medicamentos não são indicados no tratamento contra dengue

Brasil já registrou mais de 550 mil casos prováveis da doença em 2024

Por Redação T5 Publicado em
Vacinas da dengue chegam ao Brasil
Foto: Fiocruz (Foto: Divulgação/Fiocruz)

O Brasil pode bater recorde de casos de dengue em 2024. Todos os dias, são registrados novos diagnósticos — o que faz com que muitos pacientes recorram à automedicação. A prática, no entanto, pode provocar consequências graves. Há remédios vetados no tratamento da doença, por serem capazes de provocar hemorragias.

O infectologista Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, explica que o ácido acetilsalicílico, como o AAS, e os anti-inflamatórios precisam ser vetados em caso de dengue.

"Anti-inflamatório, remédios à base de corticoide, ou mesmo medicamentos antibióticos, não trazem nenhum benefício e podem trazer riscos. A dengue é uma doença que, quando evolui para a sua forma mais grave, hemorrágica, pode comprometer o funcionamento do fígado, dos rins, da coagulação sanguínea com o uso desses medicamentos", diz o especialista.

O Brasil vive um aumento expressivo da dengue. Já são 555.583 casos prováveis e 94 mortes confirmadas, de acordo com o Ministério da Saúde.

Durante o tratamento, é importante que o paciente beba muita água e somente faça uso de analgésico e dipirona para aliviar as dores. Os médicos alertam para o possível agravamento do quadro clínico, caso a pessoa infectada tente se curar por meio de receitas caseiras, geralmente divulgadas na internet.

"Chás, sucos, plantas, fitoterápicos, além de não trazer benefício, criam a falsa sensação de que está sendo tratado, medicado, e retardam o tratamento médico quando muitas vezes é necessário", destaca Kfouri.



Relacionadas