TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
SEGURANÇA E SAÚDE

Acidentes de trabalho crescem 46% na Paraíba em 2022, diz MPT

De 2007 a 2022, paraibanos comunicaram cerca de 35 mil acidentes de trabalho

Por Edcesar Oliveira Publicado em
Campanha Abril Verde deste ano alerta para os altos índices de acidentes e adoecimentos de trabalhadores
Campanha Abril Verde deste ano alerta para os altos índices de acidentes e adoecimentos de trabalhadores (Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil)

O número de acidentes de trabalho cresceu 46% na Paraíba em 2022, com um total de 5,6 mil notificações nesse período, quase 2 mil a mais que 2021. É o que mostram dados do Observatório de Segurança e Saúde do Trabalho, coordenado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

As informações, reunidas pela Iniciativa SmartLab de Trabalho Decente, coordenada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pelo Escritório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, diz a Paraíba registrou, 15 acidentes de trabalho por dia. No Estado, a cada 30 dias, em média, dois trabalhadores perdem a vida no trabalho.

Segundo o Observatório, acidentes do trabalho e agravos afastaram 1,6 mil trabalhadores paraibanos das suas funções em 2022. Dado considera apenas empregados com carteira assinada. De acordo com o Observatório, de 2007 a 2022, foram comunicados 35 mil acidentes de trabalho na Paraíba no emprego com carteira assinada.

A Campanha Abril Verde deste ano alerta para os altos índices de acidentes e adoecimentos de trabalhadores, bem como para a subnotificação dessas ocorrências. Traz como tema: “O Trabalhador não é invisível. Todo acidente de trabalho deve ser notificado”.

O procurador do Trabalho Raulino Maracajá lembrou que o Abril Verde é uma campanha que busca conscientizar a população acerca da segurança no trabalho e da prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Criada na Paraíba, hoje o movimento é realizado nacionalmente e é reconhecido por diversas entidades.

“O Abril Verde vem reforçar a lógica da prevenção para tentar reduzir os índices de adoecimentos e acidentes. Precisamos pensar na prevenção antes que o acidente aconteça”, ressaltou Raulino Maracajá, coordenador Regional da Codemat/MPT (Coordenadoria Nacional de Defesa do Meio Ambiente do Trabalho).

Veja também:



Relacionadas