Paraíba

“Temos notado a dificuldade que é investigar um político” diz delegado da Polícia Civil

O delegado Lucas de Sá reforçou que o caso de Luiz Antônio agora pertence ao Gaeco

Publicado em 25/10/2017 17:25 Atualizado em 26/11/2020 18:09
logo
Por Redação Portal T5
“Temos notado a dificuldade que é investigar um político” diz delegado da Polícia Civil

Delegacia da Polícia Civil em João Pessoa.
Delegacia da Polícia Civil em João Pessoa.

Após toda a

repercussão da denúncia contra o prefeito interino de Bayeux Luiz Antônio, em que foi flagrado supostamente tentando vender imagens do

prefeito afastado Berg Lima, o processo foi encaminhado ao Grupo de

Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério

Público da Paraíba.

A denúncia foi

recebida a princípio pela Delegacia de Defraudações e

Falsificações da Polícia Civil, através de informações

divulgadas pela imprensa na última terça-feira. Segundo o delegado

Lucas de Sá, responsável pela mesma delegacia, o processo do caso de

Luiz Antônio é diretamente vinculado ao processo da prisão de Berg

Lima.

“Qualquer denúncia

que chegue e seja de atribuição da Polícia Civil, nós iremos

atuar da mesma maneira. Porque a lei tem que valer pra todos, pra quem

tem dinheiro, pra quem não tem dinheiro, pra quem tem vínculo

político, pra quem não tem. É isso que a gente pretende continuar

fazendo”, explicou o delegado.

Lucas de Sá ainda

ressaltou a complexidade das investigações quando se relacionam à

política “Essa foi a primeira prisão da história da Paraíba de

um prefeito em flagrante, e a gente tem notado a dificuldade que é

de investigar um político, exatamente em face de toda a conotação

política que é dada. Mas somos uma polícia judiciária, e nosso

interesse tem a ver com a lei”, completou.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play