Paraíba

Secretaria de Segurança diz que vacinação contra Covid não é obrigatória para policiais

Considerados do grupo prioritário, pelo menos 485 agentes de Segurança Pública da Paraíba se recusaram a tomar os imunizantes contra a doença.

Publicado em 06/07/2021 12:41 Atualizado em 06/07/2021 13:04
logo
Por Redação Portal T5
 485 agentes de Segurança Pública da Paraíba se recusaram a tomar a vacina

485 agentes de Segurança Pública da Paraíba se recusaram a tomar a vacina

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) disse, em nota enviada para o Portal T5, que a imunização contra a Covid-19 é facultada aos servidores da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar. Considerados do grupo prioritário, pelo menos 485 agentes de Segurança Pública da Paraíba se recusaram a tomar os imunizantes contra a doença. O levantamento foi feito pelo Portal T5 por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI). 

Conforme a Sesds, as doses que não foram aplicadas serão devolvidas para a Secretaria de Estado da Saúde. "Em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde está aplicando doses de vacina contra o coronavírus nos servidores das Forças de Segurança, empenhados diretamente no enfrentamento à pandemia, de acordo com o que determina o Plano Nacional de Imunização (PNI).  A Sesds informa ainda que a imunização é facultada a esses servidores. As doses oferecidas e não aplicadas serão remetidas à Secretaria de Estado da Saúde", diz a nota.

A Polícia Militar revelou, por meio da assessoria, que tem 10.346 policiais vacinados com 1ª dose, entre ativos e guardas militares da reserva. O número representa 96,19% do efetivo total dessa categoria. Segundo a PM, a pretensão é vacinar 100% da corporação na próxima etapa da campanha, que deve ser concluída até outubro.

A PM explicou ainda que os casos dos 410 policiais militares não tomaram a vacina estão sendo tratados como "casos de recusa, até que se faça um censo para conhecer o real motivo da não vacinação, já que alguns estavam saindo do período de quarentena ou estavam infectados pela doença e por isso possivelmente se recusaram. Esses policiais receberão também orientações sobre o ato que representa a vacina para a instituição".

ESTATÍSTICAS
De acordo com a Polícia Militar (PM), 55,22% da corporação recebeu a primeira dose do imunizante, foram 5.940 policiais vacinados. Entre agentes da ativa e da Guarda Militar da Reserva, 410 pessoas recusaram a vacina.

Na Polícia Civil, 1.873 agentes foram imunizados, mas 26 recusaram a vacina. 

Até o dia 28 de junho, 1.129 bombeiros militares foram vacinados, represetando 87% do efetivo. A corporação registrou 49 recusas de recebimento da vacina entre os integrantes.

MPPB VAI ANALISAR

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) informou nesta terça-feira (6) que vai analisar os casos dos agentes de Segurança Pública da Paraíba que se recusaram a tomar a vacina contra a Covid-19

Em nota, o coordenador do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (Ncap), o promotor de justiça Guilherme Lemos, informou que "deve avaliar a questão, a fim de verificar se há medidas legais a serem tomadas nesse caso".

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play