Polícia

Presos suspeitos de espancar e deixar homem desfigurado em Serra Branca

Segundo o delegado Cristiano Santana, os dois agiram com requintes de crueldade e sem nenhuma motivação .

Publicado em 16/07/2019 11:52 Atualizado em 18/11/2020 17:39
logo
Por Redação Portal T5
Presos suspeitos de espancar e deixar homem desfigurado em Serra Branca

Em uma ação que mobilizou equipes de três delegacias, a Polícia Civil prendeu os dois homens que espancaram e, por pouco, não mataram uma pessoa indefesa, na cidade de Serra Branca, interior da Paraíba. O crime aconteceu em 2012 e gerou forte comoção social  na região. 

A vítima , do sexo masculino, estava desacordada numa rua, quando foi espancada por socos e pontapés pelos dois condenados. As agressões deixaram lesões graves. O homem agredido  ficou desfigurado e foi internado em estado grave, com risco de morte. Mesmo após a  recuperação, ele apresentou sequelas físicas em virtude do espancamento. 
 
Os autores do crime haviam sido identificados e responsabilizados criminalmente pela Polícia Civil desde a época do fato. Porém, estavam em liberdade devido a recursos judiciais. No entanto, eles foram condenados a penas definitivas de cadeia e tiveram o  mandados de prisão cumpridos por policiais civis.

As prisões foram realizadas por equipes das delegacias das cidades de Serra Branca,  São João do Cariri e de Sumé. 

Os presos foram identificados como Vandilson Flor do Nascimento, mais conhecido como "Rodim", de 32 anos; e José Paulo Rodolfo Santos da Costa, de 31 anos. 

Segundo o delegado Cristiano Santana, os dois agiram com requintes de crueldade e sem nenhuma motivação . 

"Havia uma festividade na ocasião e eles encontraram a vítima na rua e, sem nenhum motivo, começaram o espaçamento. Isso revoltou muito a população da região , que passou a clamar por justiça ", destaca o delegado. 

Ao tomar conhecimento do fato, a  Polícia Civil iniciou as investigações e identificou os autores do crime. Porém, em virtude de apelos feitos à justiça, eles permaneceram em liberdade. "A investigação da polícia foi importante para a condenação. Conseguimos provas e testemunhas decisivas para esse desfecho. Os dois têm índole violenta.  Apesar de muito recorrer, não evitaram a prisão ", declarou Santana.

Assessoria Polícia Civil

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play