Paraíba

Polícia Civil conclui inquérito sobre morte da modelo paraibana; veja

O autor confesso do crime foi indiciado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, roubo majorado e pela ocultação de cadáver

Publicado em 11/02/2021 18:45
logo
Por Carlos Rocha
Polícia Civil conclui inquérito sobre morte da modelo paraibana; veja

Polícia Civil divulgou nesta quarta-feira (10) que concluiu o inquérito criminal que apura a morte da modelo Lorrayne Damaris da Silva.

A jovem de 19 anos foi morta no dia 13 de dezembro do ano passado pelo ex-namorado. O suspeito tentou fugir após cometer o crime, mas foi preso dias depois no Estado da Bahia, numa operação integrada com as Polícias Civil e Militar desse Estado, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil da Paraíba.

O suspeito foi trazido para a Paraíba e permanece recolhido em unidade prisional.

O crime ocorreu no município paraibano de Lucena, a 55 quilômetros de João Pessoa, e causou muita comoção social.

A modelo e o suspeito moravam em Campina Grande, mas ela se mudou para o Estado de Goiás. Ela voltou à Paraíba para ser submetida a uma cirurgia plástica, quando foi atraída pelo ex-namorado para uma casa em Lucena, onde foi morta.

A investigação foi realizada por equipes do Núcleo de Repressão Qualificada da Delegacia Seccional de Santa Rita. Segundo o delegado João Paulo Amazonas, a Polícia conseguiu elucidar o crime e identificar o autor do delito.

"Acabamos de concluir o inquérito e já o remetemos à Justiça. O autor confesso do crime foi indiciado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, roubo majorado e pela ocultação de cadáver", afirmou Amazonas.

Ainda de acordo com o policial, o ex-namorado da vítima também vai responder por crime de roubo. A modelo estava com uma bolsa com alta quantia em dinheiro, quando foi morta. O dinheiro não foi encontrado pelos policiais.

"As investigações levaram a conclusão de que, além de ceifar a vida da vítima, num segundo momento o indiciado se apropriou de valores da jovem e ocultou o cadáver dela", esclareceu o delegado.

A Polícia pediu à Justiça a decretação da prisão preventiva e concluiu oitivas e perícias que comprovam a morte da vítima por asfixia.

"Foi fundamental nas investigações deste e de diversos outros casos, o disque 197 da Polícia Civil, que é uma importante ferramenta que a população pode se valer para ajudar, com garantia de anonimato", concluiu o delegado.     

Leia também:

Secretaria de Saúde diz que vacinas em circulação são eficazes contra a nova variante do Covid-19

BBB21: Marília Mendonça apaga comentário sobre Gil após repercussão negativa

“Não vou deixar”, diz irmã de Rodolffo sobre aproximação de Karol com brother

Sindicato de Trabalhadores do ensino superior da PB defende suspensão da retomada das aulas na UFPB

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play