Paraíba

Paraibanos aparecem em lista de cientistas mais influentes

Pesquisadores são do Instituto Federal da Paraíba (IFPB)

Publicado em 22/10/2021 14:38
logo
Por Carlos Rocha
Paraibanos aparecem em lista de cientistas mais influentes em ranking internacional

Paraibanos aparecem em lista de cientistas mais influentes em ranking internacional (Foto: Reprodução)

Pesquisadores do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) apareceram no ranking internacional AD Scientific Index 2021. Um total de doze cientistas da instituição foram citados entre os mais influentes do mundo.

O Alper-Doger Scientific Index (AD Scientific Index) é um sistema de análise baseado na relevância científica dos pesquisadores. O ranking também avalia o impacto das pesquisas na área de atuação dos cientistas e classifica as instituições de acordo com as características dos pesquisadores que fazem parte delas. O principal indicador utilizado para classificar os pesquisadores é o “H Index”, que mede o impacto da produção científica com base na quantidade de citações dos trabalhos dos pesquisadores e no referenciamento em periódicos de impacto internacional.

Os dados presentes nos rankings se referem tanto à performance dos últimos cinco anos quanto a de toda a carreira dos pesquisadores. O levantamento apontou os cientistas mais bem posicionados em onze regiões do mundo: África, Ásia, Europa, América do Norte, América Latina, Oceania, Liga Árabe, EECA, BRICS, USAN e COMESA.

A Pró-Reitora de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação do IFPB, professora Silvana Costa, comemorou o resultado e salientou a importância da ciência para o crescimento da instituição. “O AD Scientific Index valoriza o desempenho científico individual dos pesquisadores.  Na lista são apresentados os nomes dos pesquisadores e pesquisadoras com maior influência no meio científico a nível global. Não é fácil pesquisar num país onde não se valoriza a pesquisa como se deveria, com reduções orçamentárias ano a ano. Fazer parte de um ranking desses, por si só, já demonstra a capacidade do pesquisador de buscar caminhos e soluções e desenvolver projetos relevantes, de grande impacto científico, tecnológico e social”, afirmou a Pró-reitora.

Os doze pesquisadores do IFPB citados no AD Scientific Index 2021 obtiveram, juntos, um total de 6.788 citações no decorrer de suas carreiras, sendo 3.662 nos últimos cinco anos. Entre os cientistas do IFPB presentes na lista, seis estão entre os 21 mil mais citados do Brasil e doze estão entre os 42 mil mais citados da América Latina.

O primeiro colocado entre os pesquisadores do IFPB na edição 2021 do AD Scientific Index foi o professor Gibson Rocha Meira, docente dos cursos de Construção de Edifícios e Engenharia Civil do IFPB Campus João Pessoa. De acordo com o ranking, o professor foi citado 946 vezes em outros trabalhos acadêmicos. Meira está no IFPB há 30 anos e há mais de 20 desenvolve pesquisas de profundidade em parceria com outras instituições nacionais e internacionais.

Os estudos de Meira estão focados principalmente na durabilidade de estruturas de concreto armado e na corrosão de armaduras em estruturas de concreto, bem como nos métodos de proteção e recuperação dessas estruturas. “Recebo esse resultado com alegria porque ele é a consequência de um trabalho bem-feito. A minha principal meta como pesquisador nunca foi figurar em listas de relevância científica, mas sim produzir pesquisa de qualidade e de impacto social. Quando entregamos um bom trabalho, os bons resultados vêm naturalmente”, afirmou o professor.

O segundo colocado do IFPB no AD Scientific Index, o professor Vinícius Longo Vilela, também destacou a qualidade do trabalho realizado como o fator determinante para a indicação dos pesquisadores presentes na lista. Segundo o levantamento, Vinícius teve seus trabalhos citados 604 vezes por outros pesquisadores ao longo de sua carreira, sendo 478 nos últimos  cinco anos.  O docente está à frente da coordenação de pesquisa do IFPB Campus Sousa e integra o curso de Bacharelado em Medicina Veterinária da unidade há sete anos.

Vilela desenvolve estudos prioritariamente nas áreas de parasitologia veterinária e doenças parasitárias de animais. “Para mim é uma enorme satisfação ter sido citado na lista, pois mostra que o nosso trabalho de anos tem gerado frutos com publicações de grande impacto e muitas citações. Isso mostra que o campus vem crescendo, vem se desenvolvendo na pesquisa e ganhando notoriedade. Estamos no caminho certo, no caminho do progresso da ciência”, celebrou o docente.

Outro pesquisador do IFPB citado no levantamento da Alper-Doger foi Paulo Alves Wanderley, também lotado no Campus Sousa e vinculado à área de ciências agrárias, com ênfase em fitossanidade e controle biológico de pragas. O docente tem experiência de pesquisa com abelhas apis e com microvespas, que são agentes eficazes de controle biológico de pragas como bicudos, colchonilhas e pulgões, tendo publicado trabalhos sobre esses temas nos Estados Unidos, na Alemanha, em Israel e na Argentina.

“Recebi a indicação do AD Scientific Index com muita alegria e consciente de que isso é fruto de um trabalho em equipe. Jamais conseguimos fazer pesquisas de qualidade e com metodologias realmente inovadoras sozinhos. Além do esforço dos pesquisadores, também é necessário contar com a colaboração de um corpo técnico que possa auxiliar os estudiosos nos assuntos mais burocráticos que fazem parte do universo da pesquisa. Esse apoio é fundamental”, declarou o professor. Wanderley ministra aulas nos cursos de Agroecologia, Medicina Veterinária e no curso Técnico em Agropecuária e já realizou viagens técnico-científicas para Portugal, Canadá e outros países sempre buscando parcerias inovadoras e formando equipes multidisciplinares internacionais.

Os demais pesquisadores citados no ranking foram Maria Angélica Ramos da Silva, Ana Cristina Oliveira, Vinícius Batista Campos, Ruan Delgado Gomes, Dwight Rodrigues Soares, Alexandre D Andrea, Cledualdo Soares de Oliveira, Maurício Sarmet e Gustavo Wagner Diniz Mendes.

A professora Silvana Lucena destacou a importância desse resultado para o IFPB. “Ter pesquisadores na lista eleva a nossa instituição e projeta nosso nome mundialmente. Nossos pesquisadores estão de parabéns! O IFPB se orgulha de cada um”, finalizou a Pró-reitora.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play