Paraíba

Paraibanas mostram ruas vazias na Itália por conta do coronavírus

​Com 17 mortes confirmadas até o momento, a Itália enfrenta a multiplicação dos casos do novo coronavírus​. Ao todo, já são 650 pessoas infectadas

Publicado em 28/02/2020 10:41 Atualizado em 26/11/2020 23:53
logo
Por Redação Portal T5
Paraibanas mostram ruas vazias na Itália por conta do coronavírus

Com 17 mortes confirmadas até o momento, a Itália enfrenta a

multiplicação dos casos do novo coronavírus. Ao todo, já são 650

pessoas infectadas, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira

(27) às 18h (horário local) pela Defesa Civil.

Os contágios,

conforme as autoridades, se concentram nas regiões da Lombardia (403

casos), do Vêneto (111) e da Emilia-Romagna (97), todas no norte do

país. Em seguida aparecem Ligúria (19), Sicília (quatro) Lazio

(três), Campânia (três), Marcas (três), Toscana (dois), Piemonte

(dois), Trentino-Alto Ádige (um), Abruzzo (um) e Puglia (um). No

país, 248 pacientes estão internados, sendo 56 em terapia

intensiva, e 284 pessoas estão em isolamento domiciliar.

Expansão do

vírus

Há uma semana, o

Sars-CoV-2 começou a se disseminar pelo norte da Itália, com focos

nas províncias de Lodi (Lombardia) e Pádua (Vêneto). Estão

isoladas as cidades de: Bertonico, Casalpusterlengo, Castelgerundo,

Castiglione d’Adda, Codogno, Fombio, Maleo, San Fiorano, Somaglia e

Terranova dei Passerini, na Lombardia, e Vo’, no Vêneto.

Paraibanos na

Itália

Em todas as cidades

não há nenhum tipo de restrição à circulação de pessoas. Kesia

Monteiro Toso é paraibana, de João Pessoa, e mora na Itália há 12

anos. Ela vive em Sirmione, que fica na província di Brescia,

localizada a 112km de Codogno, que é o epicentro da crise.

“Estamos na zona

amarela, então os cuidados são preventivos até o momento. Aqui a

vida está seguindo normalmente, exceto pelas escolas da região da

Lombardia, que estão fechadas, inicialmente até o dia 01/03, mas há

a chance de permanecer assim até dia 07/03, só vamos saber esse fim

de semana como vai ficar essa questão”, disse em entrevista

exclusiva para o Portal T5.

Na primeira semana,

quando os casos do coronavírus começaram a se espalhar, a paraibana

conta que houve certo pânico, por conta da falta de informação.

“No início houve sim, mas acredito que era pela escassez de

informação. Num momento era um vírus que estava adoecendo pessoas

na China e em pouco tempo, estava aqui na Itália. O governo agiu

muito rapidamente em informar os cidadãos e isolar as áreas mais

atingidas. Tanto que se você colocar no Google maps a cidade de

Codogno, todas as estradas de acesso estão na cor vermelha, com

placas de proibição. Foi muito rápida a intervenção do governo.

Isso ajudou a tranquilizar a população”, contou à reportagem.

A paraibana explicou que um decreto do governo do país determinava o fechamento de alguns espaços como bares, teatros, cinemas e discotecas, para evitar a aglomeração de pessoas. Isso teria causado preocupação, especialmente para os comerciantes. “No fim de semana passado saiu um decreto determinando que bares, teatros, cinemas e discotecas ficassem fechados das 18h até as 6h, o que causou muita preocupação aos comerciantes. Os shopping centers vão fechar, a partir desse fim de semana, sábados e domingos, até segunda ordem. A justificativa do ministério da saúde é que é necessário evitar a aglomeração de pessoas para o caso de haver contato com algum caso suspeito e daí surgir a necessidade de colocar a comunidade em quarentena. Isso causaria uma quebra no sistema público sanitário, que não tem condições de atender a demanda, inviabilizando então a internação de casos reais de contaminação. É como se a gente tivesse fazendo esse sacrifício para dar ‘espaço’ aos casos confirmados.”, disse ao Portal T5.

Embora a Itália tenha registrado tantos casos, a paraibana acrescentou que a vida na cidade segue normal. “A vida está seguindo normalmente, os supermercados estão abastecidos, no início houve uma procura excessiva e alguns tiveram problema de fornecimento, o que já foi resolvido. As farmácias também estão funcionando normalmente e não sentimos nenhum efeito do vírus na prestação do serviço, a não ser pelo álcool em gel, que não se encontra mais em lugar nenhum”, ponderou.

Emanuelle Catão mora na Itália há 15 anos. Ela vive na cidade de Novara e enviou um vídeo para a Rede Tambaú de Comunicação (RTC) mostrando que as ruas estão praticamente desertas. "Novara fica ao lado de Milão, onde neste momento tem o maior número de infectados com o coronavírus. As pessoas aqui estão vivendo com medo de serem contagiadas. As pessoas só saem de casa para ir no supermercado e nas farmácias”, contou.

Caso suspeito na Paraíba

Segue internado no Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, o paciente de 59 anos com suspeita do novo coronavírus. De acordo com Geraldo Medeiros, secretário de Saúde da Paraíba, o homem apresenta melhora e continua sem febre. O paraibano está hospitalizado em uma das unidades de referência para o atendimento dos casos em João Pessoa, desde a última terça-feira (25)

De acordo com a Secretaria, o resultado do exame que pode comprovar ou descartar o coronavírus deve ser divulgado nesta sexta-feira (28).

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play