Polícia

Operação prende grupo suspeito de homicídios e tráfico de drogas no litoral sul da PB

Seis imóveis ligados aos investigados foram alvos de buscas nas cidades de Caaporã e Alhandra

Publicado em 28/08/2020 16:30 Atualizado em 25/11/2020 20:27
logo
Por Redação Portal T5
Operação prende grupo suspeito de homicídios e tráfico de drogas no litoral sul da PB

Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Dois homens suspeitos de praticar, pelo menos, três homicídios foram presos na manhã desta sexta-feira (28) durante Operação "Pateras" deflagrada pela Polícia Civil nas cidades de Caaporã e Alhandra, no litoral sul da Paraíba.

Durante a ação, que teve o apoio da Polícia Militar, ainda foi cumprido um mandado de prisão contra um terceiro homem envolvido nas mortes e que já se encontrava recolhido na Cadeia Pública de Alhandra por prática de outros delitos.

Internautas protestam contra redução do valor do auxílio emergencial

O presidiário recebeu nova ordem de prisão e terá maior dificuldade para obter benefícios que o permitam obter a liberdade.

Seis imóveis ligados aos investigados foram alvos de buscas. Nesses locais, os policiais encontraram entorpecentes, munições e uma arma de fogo.

Cerca de 50 policiais, sendo 20 civis e 30 militares, foram mobilizados na operação.

Veja os valores pagos do Auxílio Emergencial pela Caixa Econômica

Segundo informações repassadas pelo delegado Geovane Giacomelli, os trabalhos são resultados da investigação sobre um homicídio ocorrido no dia 30 de maio deste ano, na zona rural de Caaporã. A vítima foi identificada como Amauri Claudino Ferreira e, segundo a Polícia, foi morta pelos três homens alvos da operação.

Ainda de acordo com as investigações, os três suspeitos integram uma organização criminosa de alta periculosidade, responsável pela morte de, pelo menos, outras duas pessoas na região. Além de homicídios, o trio também atua no tráfico de drogas nas cidades de Pitimbu e Caaporã, de acordo com a Polícia Civil.

"A palavra 'Pateras' significa 'pai' no idioma grego. A operação recebeu esse nome devido ao homicídio do patriarca de uma família, que foi o estopim para o cometimento de outros crimes", explicou o delegado.

A investigação foi realizada pelo delegado Marcos Paulo Sales.

Leia também: CRM interdita eticamente Trauminha de Mangabeira por irregularidades

Siga o Instagram Facebook do Portal T5 e fique bem informado!

Adicione o WhatsApp do Portal T5: (83) 9 9142-9330.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play