Política

MPPB apura possível compra de votos com materiais de construção na PB

Votação que elegeu Marcelo Jorge (PL) ocorreu nesse domingo (12).

Publicado em 13/09/2021 14:28 Atualizado em 13/09/2021 17:39
logo
Por Redação Portal T5
Prefeito Marcelo Jorge e vice, Edmarck Araújo.

Prefeito Marcelo Jorge e vice, Edmarck Araújo. (Foto: Instagram/Divulgação)

Eleito nesse domingo (12), o prefeito do município de Gado Bravo, no Agreste paraibano, Marcelo Jorge (PL), é alvo de três procedimentos preparatórios para investigação suspeitas de irregularidades durante a campanha eleitoral. 

Entre as denúncias, o Ministério Público da Paraíba apura se ele usou dinheiro público para distribuir combustível e materiais de construção a eleitores, com a finalidade de participação em carreata, caracterizando abuso de poder político e econômico.

A Polícia Federal investiga o desvio de verbas públicas para o custeamento de campanha eleitoral, no município. Uma ação cumpriu dois mandados de busca e apreensão no dia 24 de agosto deste ano. A polícia busca provas de possíveis crimes envolvendo abuso de poder econômico, com uso indevido de recursos públicos para custear despesas de campanha, relacionados às eleições suplementares.

O recente pleito para a escolha de prefeito e vice-prefeito da cidade foi autorizadao pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) após o impedimento do prefeito eleito Evandro (Cidadania), no ano passado. Ele não assumiu o cargo por questões jurídicas.

O município já era administrado por Marcelo Jorge, então presidente da Câmara de Vereadores. Ele é um dos candidatos ao cargo. Ele foi eleito com 62,5% dos votos.

Fernando Morais, que era candidato a vice na chapa de Evandro, em 2020, também concorria ao cargo. 

A Rede Tambaú de Comunicação (RTC) tentou contato com o prefeito eleito, que não quis comentar o assunto.

Veja mais:

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play