Polícia

MPF denuncia suspeito de compartilhar pornografia infantil durante 9 anos, em João Pessoa

Ele chegou a ser preso em fevereiro desse anos, mas atualmente está em liberdade

Publicado em 19/11/2019 16:35 Atualizado em 27/11/2020 04:09
logo
Por Redação Portal T5
MPF denuncia suspeito de compartilhar pornografia infantil durante 9 anos, em João Pessoa

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou um homem residente em João Pessoa (PB) por crime de pornografia infantil. De acordo com as investigações, o acusado transmitiu e distribuiu, de forma continuada, na internet, fotos e vídeos com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes, por meio do programa de compartilhamento de arquivos virtuais Emule.

Turista encontra em praia embalagem de salgadinho vencido em 2001

Irmão do Ministro da Educação ironiza sotaque de governadora do RN no Twitter

Segundo a denúncia, ele teria praticado as condutas ilícitas de forma dolosa pelo menos de 2 de março de 2010 a 12 de março de 2019. Consta dos autos que o acusado possuía armazenado em seu computador e em outras mídias mais de 31 mil arquivos pornográficos. Em fevereiro deste ano, o denunciado foi flagrado durante cumprimento de mandado de busca e apreensão autorizado pela Justiça Federal. Ele foi preso, mas atualmente está em liberdade.

Crimes e penas

Para o MPF, o acusado cometeu crimes previstos nos artigos 241-B e 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), ao adquirir, possuir ou armazenar, disponibilizar, transmitir e distribuir arquivos de pornografia envolvendo criança ou adolescente. O Ministério Público Federal pede a condenação do acusado na forma dos artigos 69 (concurso material) e 71 (continuidade delitiva) do Código Penal. Caso seja condenado, o denunciado pode pegar pena de 8 a 20 anos de reclusão, mais pagamento de multa.

Polícia prende trio suspeito de furtar 32 pneus de hipermercado em João Pessoa

Drogas apreendidas em Mangabeira estavam enterradas em vários pontos da casa, diz delegado

O MPF requer ainda, com fundamento no artigo 319, I e VI, do Código de Processo Penal e considerando as circunstâncias e natureza do crime, que sejam impostas ao denunciado medidas cautelares diversas da prisão: comparecimento mensal em juízo, para informar e justificar atividades profissionais; e proibição/suspensão de exercício de atividade profissional que lide diretamente com crianças e adolescentes.

PRF apreende carga de R$ 1,25 milhão em cigarros contrabandeados que saiu da PB

Leia Mais: Condutor do SAMU salva vida de bebê de 20 dias que se engasgou no interior da PB

Siga nosso Instagram Facebook e fique bem informado! 

Adicione nosso WhatsApp: (83) 9 9142-9330.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play