Polícia

Laudo aponta que padrasto estava nas imediações de onde Rebeca morreu, diz promotoria

Para o Ministério Público não há dúvidas do envolvimento de Edvaldo no crime

Publicado em 28/02/2019 19:42
logo
Por Redação Portal T5
Laudo aponta que padrasto estava nas imediações de onde Rebeca morreu, diz promotoria

O julgamento de um crime que chocou a Paraíba acontece desde a manhã desta quinta-feira (28), no Fórum criminal de João Pessoa. No banco dos réus, o padrasto de Rebeca Cristina, que foi morta com um tiro na nuca em 2011.

Segundo as investigações, Rebeca foi morta porque descobriu que o padrasto estava traindo a mãe dela com um homem. Em julho de 2016, o cabo da PM Edvaldo Soares da Silva teve a prisão temporária decretada. 

Apesar do álibi do suspeito, que afirmou não estar na cena do crime, a promotoria afirmou que um laudo técnico, emitido através de uma operadora de telefonia, o padastro de Rebeca estaria nas imediações da cena do crime e teria ligado para a então esposa, mãe de Rebeca, momentos após o assassinato da adolescente.

Para o Ministério Público não há dúvidas do envolvimento de Edvaldo no crime. Segundo inquérito policial há mais de 20 indícios que apontam a participação dele. Em julho do ano passado a justiça decretou a prisão preventiva do suspeito. A defesa dele nega autoria do crime.

O julgamento segue sem horário para terminar. Por volta das 19h iniciou-se a fase de debates. A promotoria 

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play