Paraíba

Justiça manda soltar dois investigados da Calvário; Coriolano fica de fora

A defesa de Edvaldo Rosas e Pietro Harley alegou risco por conta da pandemia de Covid-19; Coriolano usou o mesmo argumento mas não teve o pedido atendido

Publicado em 01/03/2021 19:45 Atualizado em 01/03/2021 19:45
logo
Por Carlos Rocha
Justiça manda soltar dois investigados da Calvário; Coriolano fica de fora

A Justiça da Paraíba mandou soltar o empresário Pietro Harley e o ex-secretário de estado Edvaldo Rosas, presos na Operação Calvário. Eles estavam presos na Penitenciária de Segurança Média Juiz Hitler Cantalice, em Mangabeira, Zona Sul de João Pessoa, desde o dia 4 de fevereiro. A prisão foi efetivada após o cumprimento de uma nova fase da Operação Calvário.

A decisão da Justiça, em converter a prisão dos dois em medidas cautelares, ocorreu após o pedido da defesa e parecer favorável do Ministério Público que alegou risco a saúde dos dois, pelo avanço da pandemia da Covid-19 em todo estado. Os dois passaram a usar tornozeleira eletrônica, estão proibidos de sair de casa à noite e não podem ter contato com qualquer pessoa investigada pela operação.

De acordo com a defesa, o empresário Pietro Harley e o ex-secretário de estado Edvaldo Rosas devem ser soltos até esta terça-feira (2º).

O irmão do ex governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho, que também está preso na Hitler Cantalice, assim como Pietro e Edvaldo, solicitou soltura alegando risco de contrair o novo coronavírus, no entanto, o pedido foi negado. A promotoria informou que medidas cautelares não cumpridas anteriormente contribuíram para que o pedido da defesa não fosse aceito.

Leia também:

Paraíba ultrapassa 4,5 mil mortes por Covid-19

Covid: Prefeito de CG assina decreto com medidas mais restritivas

Justiça arquiva denúncias criminais contra Karol Conká

Policiais que socorreram mulher em trabalho de parto recebem medalhas de reconhecimento

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar