Paraíba

Homem denuncia demora de ambulância e realiza parto de esposa no sofá de casa; Samu nega atraso

Mãe e filho foram levados para a maternidade em um carro solicitado por um aplicativo de celular.

Publicado em 27/09/2019 09:17 Atualizado em 18/11/2020 11:28
logo
Por Redação Portal T5
Homem denuncia demora de ambulância e realiza parto de esposa no sofá de casa; Samu nega atraso

Gabriel nasceu com ajuda do pai e da tia, na madrugada desta sexta-feira (27), em João Pessoa.
Gabriel nasceu com ajuda do pai e da tia, na madrugada desta sexta-feira (27), em João Pessoa. Foto: Portal T5

Um homem denunciou a demora no atendimento de aproximadamente três horas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para apoio durante o parto da esposa na madrugada desta sexta-feira (27), no bairro Cidade Verde, em João Pessoa. O bebê nasceu no sofá da casa, com ajuda do pai e da tia, e foi levado ao hospital em um carro solicitado por um aplicativo de celular. Ao Portal T5, o Samu negou o atraso.

Em entrevista, o pai da criança revelou que uma ligação foi realizada por volta de 1h30, mas o atendente alegou precisar da autorização de um médico para o envio da ambulância. As contrações aumentaram, o marido e irmã da mulher da grávida de 38 semanas decidiram realizar o parto na sala da casa onde moram. 

Gabriel, o primeiro filho do casal, nasceu com 2,6 kg, 45 centímetros e cordão umbilical enrolado ao pescoço. 

Mãe e filho foram levados para os primeiros atendimentos na Maternidade Cândida Vargas por um veículo solicitado por um aplicativo de celular, por volta de 4h40.

O Samu informou ao Portal T5 que as ambulâncias estavam empenhadas em outras ocorrências, mas uma unidade foi encaminhada aproximadamente 10 minutos depois da solicitação. O órgão revelou que o local não foi devidamente comunicado pelo solicitante e, durante o trajeto, o homem informou que mãe e filhos já estavam indo em um carro para a maternidade. 

VEJA A NOTA

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU JP) esclarece que: foram registradas duas ligações: as 4h23 e as 4h39. Na primeira ligação foi informado que a paciente estaria com dores abdominais e vomitando, o médico regulador avaliou a situação e designou uma ambulância do tipo Básica. 

Na segunda chamada, às 4h39, foi informado que a paciente em questão havia entrado em trabalho de parto e tido o bebê em casa. Sendo necessário o envio de uma Unidade de Suporte Avançado (USA), especifica para o atendimento necessário, porém o solicitante informou que a paciente já estava sendo levada ao hospital em veículo particular. 

Como funciona: Quando uma pessoa liga para o 192 quem atende a ligação é o Auxiliar de Regulação Médica (ARM). A ligação é registrada pelo ARM, que preenche o prontuário eletrônico com algumas informações e, em seguida transfere a ligação, juntamente com o prontuário, para o Médico Regulador. O Médico Regulador faz perguntas ao solicitante complementando as informações referentes ao paciente/vítima, após essas informações autoriza ao Rádio Operador o envio do recurso mediante a gravidade do caso ou orienta ao solicitante como proceder.

De acordo com dados do SAMU JP, são registradas em média 1.562 chamadas por dia, entre essas uma média de 1.405 chamadas (90%) não chegam ao Médico Regulador, sendo concluídas após a Regulação Médica apenas uma média de 158 chamadas (10%).

Por fim, o serviço orienta que ao ligar para o SAMU o cidadão procure manter a calma ao passar as informações de maneira precisa pra a central de regulação. Essas informações completas possibilitam o envio do tipo de socorro adequado a cada situação.

Veja

mais:

Morre

menina de seis anos atropelada no Brejo paraibano

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play