Paraíba

Falta de médico e profissional sem registro causam interdição em USF

Unidade Integrada Rosa de Fátima, no bairro Paratibe, passou por uma fiscalização do CRM-PB.

Publicado em 23/09/2021 16:58 Atualizado em 23/09/2021 18:01
logo
Por Carlos Rocha
Falta de médico e profissional atendendo sem registro causam interdição em USF

Falta de médico e profissional atendendo sem registro causam interdição em USF (Foto: Reprodução/ Google Street)

O Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente os médicos que trabalham na Unidade Básica de Saúde (UBS) Integrada Rosa de Fátima, no bairro de Paratibe, em João Pessoa, após fiscalização realizada na tarde dessa quarta-feira (22).

A unidade conta com quatro equipes de saúde da família, estando uma delas sem médico e outra com atendimento feito por profissional sem registro no CRM-PB. Além disso, faltam equipamentos básicos para consultas e estrutura física apresenta problemas graves, com ambiente insalubre para profissionais e pacientes.

Conforme o relatório de fiscalização do CRM-PB, nos consultórios da UBS Integrada Rosa de Fátima faltam equipamentos como termômetro clínico, estetoscópio, oftalmoscópio, otoscópio, lanterna com pilhas, balança antropométrica, dentre outros. Também faltam itens para higiene, como sabonete líquido, toalhas de papel, lixeiras, além de lençóis para macas, algumas estão com colchões inadequados ou sem colchões. Há banheiros sem condições de uso, com pias e vaso sanitário sem funcionar e sem porta.

A equipe do CRM-PB também encontrou uma estrutura predial bastante precária nos consultórios, com infiltração e mofo, mobiliário enferrujado, maca sem colchão e sem ar condicionado. Ainda há problemas nas condições de higiene e limpeza, e a iluminação é insuficiente para a realização das consultas.

A interdição da UBS teve início a zero hora desta quinta-feira e impede que os médicos da unidade prestem seus serviços até que as inconformidades apontadas pelo CRM-PB sejam resolvidas. As quatro equipes de Saúde da Família que atuam na unidade são Mussumago I, Mussumago II, Sonho Meu e Paratibe. O relatório do CRM-PB já foi entregue à prefeitura de João Pessoa para conhecimento e resolução dos problemas.

O secretário municipal de saúde, Fábio Rocha, informou que os itens citados pelo relatório do CRM-PB serão avaliados e a Prefeitura de João Pessoa vai realizar os ajustes o mais rápido possível. Sobre os problemas na estrutura na unidade em questão, o secretário afirma que se devem a depredações feitas por vândalos e que isso se repete em várias Unidades de Saúde da Família da cidade. Ele afirma que já está em contato com as forças de segurança para tentar barrar esses casos.

A Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa enviou uma nota sobre o caso. Confira na íntegra:

"No dia 22 do corrente mês, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu a informação da interdição ética dos profissionais médicos da USF Rosa de Fatima, no bairro Paratibe, e aguarda a chegada do relatório das inconformidades relatadas para que, a curto prazo, possa intervir.

O gerente da atenção básica, Gilliard Abrantes, diz que foi realizada visita na unidade referida para diagnóstico situacional e, mediante recebimento do relatório apresentado pelo CRM-PB, adotará, a curto prazo, as medidas cabíveis para imediata desinterdição".

Veja mais:

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play