Festa na Roça 2021

Especialista dá dicas de como consumir comidas juninas sem descuidar da Saúde

Os pratos que têm milho como ingrediente principal são ótima fonte de energia, mas deve-se haver cuidado na quantidade de porções

Publicado em 28/06/2021 19:00 Atualizado em 28/06/2021 19:28
logo
Por Carlos Rocha
Especialista dá dicas de como consumir comidas juninas sem descuidar da Saúde

Especialista dá dicas de como consumir comidas juninas sem descuidar da Saúde (Foto: Carlos Rocha/ RTC)

Os festejos juninos possuem um simbolismo gastronômico muito marcante. A tradição da festa é o agradecimento às divindades pela colheita do milho. Por isso, as comidas à base do ingrediente não podem faltar nas comemorações de Santo Antônio, São João e São Pedro. Mas até que ponto um indivíduo pode condumir desenfreadamente os quitutes feitos à base desse cereal?

Os pratos que têm milho como ingrediente principal são ótima fonte de energia. Neles estão presentes vitaminas do complexo B, além da Colina, nutriente benéfico à função cerebral e que promove melhorias aos neurotransmissores.

“O cereal, bastante comercializado neste período, é também uma ótima fonte de fibras, essenciais para o nosso intestino. Além disso, conta com vitamina A que auxilia na saúde dos olhos. É também uma ótima fonte de cálcio, ferro, fósforo, magnésio e potássio”, explica o nutricionista Matheus Moita.

O especialista faz um alerta sobre o consumo desenfreado de pratos à base de milho. Matheus Mota conta que esses pratos em excesso podem causar danos à saúde. O problema está diretamente ligado ao manuseio e o preparo do alimento. Ele explica que uma espiga tem em média 120 calorias, se adicionado manteiga o número pode subir para 180. Ao somar as medidas generosas de açúcar, presentes nas comidas típicas de junho, se tornam uma verdadeira bomba calórica. “...Sem contar que o milho promove a sensação de saciedade, já o açúcar desperta a vontade de comer ainda mais, o que não é indicado para quem luta contra a balança ou tem diabetes”, pontua Matheus Moita.
 
Hipertensos também devem ficar atentos, principalmente ao cereal vendido em conserva. O produto tem uma alta quantidade de sódio, geralmente presente no sal de cozinha. Um grama do condimento, dos cinco recomendados ao dia, contém 40% de sódio “Precisamos do sódio presente no sal, ele  possui funções essenciais no nosso corpo. Atua na regulação da pressão arterial, na contração muscular, etc. Mas, temos que consumir em quantidades moderadas. O exagero pode desencadear diversas desordens metabólicas, como a retenção de líquido, aumento da pressão arterial e até complicações renais.”, explica Moita

Substituições

O açúcar é um carboidrato de absorção rápida que aumenta o nível de glicose no sangue, e seu excesso sobrecarrega o metabolismo e é totalmente prejudicial a quem tem tendência a engordar. Os grãos podem ser substituídos por adoçantes naturais, como a stevia e o xilitol.
Bastante usado, o leite é rico em cálcio e vitamina B12, essencial para evitar a anemia. Mas, contribui para o aumento do LDL e do colesterol ruim. Nesse caso, o ideal é usar o desnatado, em vez do integral.

Leia também:

“Me enche de orgulho”, diz primo de William Bonner sobre se assumir gay

Tarifa dos trens na Paraíba terá reajuste e custará R$ 2,50

Prefeitura aplica segunda dose da Astrazeneca e Coronavac nesta terça-feira

Justiça Federal determina retificação de edital do concurso de Bayeux

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play