Paraíba

Enterrado corpo de vizinho baleado em prédio de Cabedelo; capitão acusado de atirar segue preso

Na unidade hospitalar ele ainda passou por procedimentos médicos, mas não resistiu após uma parada cardíaca

Publicado em 07/04/2018 16:38 Atualizado em 26/11/2020 11:56
logo
Por Redação Portal T5
Enterrado corpo de vizinho baleado em prédio de Cabedelo; capitão acusado de atirar segue preso

O corpo do homem atingido com pelo menos três tiros em um prédio

residencial de Intermares em Cabedelo no último sábado (31) foi

enterrado às 11h deste sábado (7). A vítima foi baleada na parte

do térreo do condomínio onde participava de um churrasco com alguns

vizinhos. O acusado de atirar é um capitão da Polícia Militar da

Paraíba.

No dia em que o

crime aconteceu, Valdemir Francisco da Silva Filho, de 41 anos, ainda

foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma em uma viatura da

PM. Na unidade hospitalar ele ainda passou por procedimentos médicos,

mas não resistiu após uma parada cardíaca na última terça (3).

Na mesma noite do crime, o capitão acusado pelos disparos foi ouvido na Central de Polícia do Geisel e informou ter problemas mentais. Nenhum laudo médico comprovando tal situação foi entregue à polícia. O acusado segue preso no Centro de Educação da Polícia Militar, no bairro de Mangabeira. 

Relembre o caso

Um capitão da Polícia Militar é suspeito de invdadir o espaço onde um vizinho fazia um churrasco e atirar contra ele, na noite deste sábado (31), no bairro de Intermares, em Cabedelo, região metropolitana de João Pessoa.

Testemunhas disseram que o capitão, que está afastado para tratamento de saúde, tinha uma série de desentendimentos com o vizinho, que começaram há cerca de um ano. O motivo seria uma encomenda desse vizinho, que teria sido aberta e encontrada em um dos apartamentos que um zelador toma conta. O capitão teria se envolvido na discussão entre vítima e zelador.

Na noite deste sábado, durante o churrasco, o capitão desceu e disparou cinco vezes contra o rapaz. Ele foi atingido por três tiros e socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. O capitão foi detido pela Guarda Municipal de Cabedelo e levado para a Central de Polícia.

Testemunhas, que acompanharam o rapaz até a unidade hospitalar, disseram ao repórter da RTC, Ewerton Correia, que recebiam ameaças de morte por parte do capitão. Eles relataram ainda que o suposto autor dos tiros trabalhava na corregedoria e estava afastado por problemas psicológicos.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra PM atirando. Confira: 


icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play