Paraíba

Defesa da esposa de Ricardo Coutinho repudia acusações em processo de suspeita de fraude; veja

"Amanda Rodrigues é pessoa de bem e provará sua inocência em juízo", diz o texto.

Publicado em 03/07/2020 18:27 Atualizado em 26/11/2020 18:50
logo
Por Redação Portal T5
Defesa da esposa de Ricardo Coutinho repudia acusações em processo de suspeita de fraude; veja

Por

meio de nota divulgada à imprensa, Amanda Rodrigues, esposa do

ex-governador Ricardo Coutinho e ex-secretária de finanças do

estado da Paraíba repudiou as acusações que lhe foram feitas no

processo que investiga fraudes no Laboratório Industrial Farmacêutico do estado (Lifesa-PB).

O

processo compõe o âmbito da Operação

Calvário que

investiga irregularidades em contratos estabelecidos na gestão de

Ricardo com organizações sociais que coordenam serviços de

educação e saúde.

Confira

o texto na íntegra:

"Mais

uma vez, a Operação Calvário mostra a que veio. Em momento de

aproximação das eleições municipais, intensificam-se os ataques

ao ex-Governador Ricardo Coutinho e aos seus familiares mais

próximos.

Amanda Rodrigues é pessoa de bem e provará sua

inocência em juízo. Todas as reuniões de que participou no

Conselho de Administração do LIFESA são públicas e estão

registradas em ata, não havendo quaisquer indícios de

irregularidades. Além disso, durante o período em que acumulou os

cargos de Secretária de Finanças do Estado da Paraíba e de

Secretária Executiva do Programa Empreender, Amanda não era sequer

companheira de Ricardo, tendo obtido destaque na administração

pública pelo extremo zelo e comprometimento com que desempenhou suas

funções.

A defesa repudia com veemência as acusações que

lhe foram feitas e acredita que todas elas serão rechaçadas em

breve pelo Poder Judiciário, por não possuírem respaldo em mínimos

indícios de prova".

Ainda conforme as investigações, Amanda Rodrigues, "foi alçada como a pessoa de comando dentro da empresa encapada, passando-se a OrCrum a atual o modo a perpetrar inúmeras irregularidades sob o manto da pessoa jurídica de participação pública, havendo várias irregularidades detectadas por órgãos de controle do TCE."

Leia também: Farmácia à 100 metros de delegacia é assaltada pela 2ª vez nesta semana em JP

José Serra é alvo de mandado de busca na Lava Jato

Moradia e água potável devem ser fornecidas às pessoas em situação de rua na PB

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play