Paraíba

CRM interdita eticamente Trauminha de Mangabeira por irregularidades

Entre as irregularidades na unidade, o CRM citou problemas de higiene, de estrutura e escala médica

Publicado em 28/08/2020 11:03 Atualizado em 25/11/2020 23:57
logo
Por Redação Portal T5
CRM interdita eticamente Trauminha de Mangabeira por irregularidades

O Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio Burity em Mangabeira, conhecido como ‘Trauminha’, em João Pessoa, foi interditado eticamente pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), nesta sexta-feira (28).  Uma avaliação foi feita hoje pelo CRM na unidade.

Com a medida, os médicos da unidade são orientados a não trabalhar por conta das condições precárias no hospital.

+ Veículos carregados com gás e diesel tombam na BR-101, na PB

Na segunda-feira (24) o Conselho visitou a instituição e identificou ‘graves problemas de higiene, estrutura e escala médica’, que foram encaminhados ao prefeito Luciano Cartaxo e ao secretário de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio.

+ Troca de tiros entre traficantes e PM deixa suspeito baleado em Santa Rita

Ainda conforme o CRM, na vistoria foram identificadas diversas inconformidades, como estrutura predial e higiene precárias (vazamentos, paredes sujas, infiltrações, presença de barata), falta de privacidade e roupa de cama nos leitos, iluminação e ventilação insuficientes, falta de medicamentos, espera superior a sete dias por cirurgia, além de escala médica incompleta nos sábados e domingos.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que não foi oficialmente notificada da interdição e que está cumprindo dentro do prazo as exigências do relatório entregue pelo órgão fiscalizador na última segunda-feira (24). A pasta considerou ainda a interdição uma grande perda para a população.

Confira a nota na íntegra: 

"Sobre a interdição ética dos médicos que atuam no Complexo Hospitalar de Mangabeira Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma) pelo Conselho Regional de Medicina (CRM): 

1.            A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e a direção do Complexo Hospitalar não receberam oficialmente a notificação de interdição; 

2.            O relatório recebido da visita realizada pelo CRM no dia 25/08 está sendo respondido dentro do prazo definido pelo Conselho, inclusive a escala médica do mês solicitada foi entregue à instituição na última quinta-feira (27). As demais questões tratadas no relatório também já estão sendo respondidas, cumprindo os prazos definidos; 

3.            Por fim, a SMS reforça que essa interdição implica em grande perda para a população, que fica impedida de receber atendimento em todas as especialidades médicas que atendem no Complexo Hospitalar de Mangabeira. Ou seja, ficarão desassistidos todos que busquem o serviço como, pacientes vítimas de acidentes de trânsito, em parada cardíaca, com transtornos psiquiátricos, pacientes de UTIs e outros. 

4.            O hospital é referência no Estado da Paraíba em cirurgia de urgência e emergência de áreas abaixo do cotovelo e abaixo do joelho, conforme pactuação firmada com o Ministério da Saúde, atendendo pacientes de João Pessoa e da primeira macrorregião do estado. Neste ano, já foram realizados 46.886 atendimentos e mais de 3.700 cirurgias."

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play