Política

Críticas à CPI da Covid-19 dominam live de Bolsonaro

Ao lado do ministro da Educação, Milton Ribeiro, presidente voltou a defender o uso da cloroquina

Publicado em 04/06/2021 05:43 Atualizado em 04/06/2021 06:00
logo
Por Redação Portal T5
Bolsonaro criticou novamente o uso de máscaras e as medidas de combate à pandemia

Bolsonaro criticou novamente o uso de máscaras e as medidas de combate à pandemia (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Em live realizada nessa quinta-feira (3), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que a Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) da covid-19 tinha chance de ser um "momento ímpar" para a discussão de diversos pontos da pandemia, no entanto, não foi. Ele estava acompanhado do ministro da Educação, Milton Ribeiro. 

"Renan Calheiros [relator da CPI], Omar Aziz [o presidente da comissão] e o senador do Amapá [Randolfe Rodrigues], ficam maltratando pessoas que defendem o que eles não gostam de ouvir como o tratamento imediato", disse. Outra crítica ao colegiado foi em relação à possibilidade de prisão após a acusação de mentiras durante o depoimento.

"Ameaçando prender quem não responde sim ou não para Renan Calheiros, uma figura desqualificada como Renan Calheiros. Se eu fosse convidado, eu não iria, mas se for convocado é o poder da Comissão. CPI é seriedade, acham que vão derrubar presidente. O próprio Renan Calheiros falou que não vão apurar sobre a questão do desvio de recurso, vão apurar se eu to usando máscara?", completou.

Bolsonaro criticou novamente o uso de máscaras e citou o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, Anthony Fauci: "E falando em máscara, vocês estão vendo o vazamento de e-mails do Anthony Fauci? Ele diz que as máscaras são usadas por quem está infectado. Quem tá infectado fica em casa, eu fiquei em casa durante nove dias. Quem não está infectado não precisa usar máscara, entendeu ô meia dúzia da CPI?". 

A declaração do presidente, contudo, faz referência à uma afirmação antiga do epidemiologista, ainda em fevereiro do ano passado. Na ocasião, ainda não havia protocolos estabelecidos para reduzir a transmissão da covid-19 e a recomedação de autoridades norte-americanas era que somente pessoas infectadas e profissionais de saúde usassem a máscara.  

O presidente novamente defendeu o uso de cloroquina para covid-19, remédio sem eficácia comprovada para o tratamento da doença. Ele admitiu que tomou novamente o medicamento. "Eu tomei aquele remédio, não vou falar o nome, porque se não cai a live. Senti-me mal e tomei de novo. Fiz o teste e não estava infectado. Vou esperar sentir falta de ar para ir ao médico? O que está comprovadamente cientificamente é o tubo quando sente falta de ar?", relatou. 

SBT News

Veja mais:

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play