Paraíba

Covid: Cícero Lucena afirma que orla de João Pessoa pode ser fechada

Governador e prefeito da capital adiantaram o posicionamento que prevê restrições.

Publicado em 22/02/2021 12:12 Atualizado em 22/02/2021 13:08
logo
Por Redação Portal T5

Com o aumento de infecções pelo novo coronavírus, o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), e secretários de gestões estaduais e municipais discutiram, na manhã desta segunda-feira (22), novas medidas de flexibilização. As regras foram definidas como momentâneas para conter o avanço dos novos casos de Covid-19.

Em razão disso, um novo decreto estadual deve ser publicado nesta terça-feira (23). Ele estabelecerá um "choque na mobilidade urbana e humana", segundo o governador. Segundo o chefe do poder Executivo, a reunião foi produtiva e o comitê revê oportunidade de alinhar e apresentar a situação real da pandemia na Paraíba. "O decreto vai poder priorizar a vida acima de tudo", exclamou.

Confira abaixo os pontos que repercutiram na entrevista coletiva

  • Hospitais de campanha - medida ainda não avaliada no momento. "Não há necessidade de implantação do hospital de campanha. Até porque o hospital de campanha precisa de um suporte maior em leitos de enfermaria. E hoje o que precisamos é de UTI", disse João.
  • Escolas  - já determinei o início das aulas apenas de forma on-line. Mesmo com aquele percentual de retorno dos 30%, não vamos praticar. Sobre as escolar particulares, é assunto do corpo técnico. "Com relação as escolas públicas, o início do ano letivo acontecerá de forma on-line", pontou.

Cícero Lucena (Progressistas) prefeito de João Pessoa, afirmou que as decisões foram tomadas em alinhamento das gestões municipal e pública.

  • Lotação na orla e praias - "temos muitos pontos de convergência, e a de fechar a orla é uma delas. Nós temos a comprovação clara que a solução para enfrentamento da covid-19 passa pelo isolamento e vacinas. Como ainda não depende do governo do estado e municipal a chegada de lotes, esse é um ponto em discussão", afirmou Cícero Lucena. O prefeito ainda disse que garantir novos leitos de UTI não é uma tarefa fácil até pela "limitação de profissionais capacitados" para atuar nos respectivos locais. "Esse grau de responsabilidade tem que ser de todos nós".
  • Chegada de respiradores - "estamos tomando todas as providências que nos cabe. Estamos tomando todas as decisões. Até o fim de semana estaremos dobrando a capacidade de atendimento nas UTIS. Apontamos medidas que nos serviram de exemplo em outros locais. A prefeitura anunciou a instalação de cinco usinas para produção de oxigênio e a primeira será instalada no Prontovida. A partir de amanhã (terça, 23) temos mais leitos de UTI no Santa Isabel", finalizou Cícero.
  • Decreto e comércio - "o estado estabeleceu bandeiras conforme o 'Plano Novo Normal'. Dentro deste plano está caracterizado o que pode e não pode funcionar após a publicação das semanas com a situação de cada município", avaliou João Azevêdo.
  • Cultos e eventos - "sabemos que são práticas que facilitam a transmissão do vírus. Isso inclui outras atividades. Uma final de um jogo de futebol, por exemplo, promove aglomerações".
  • Multas e penalidades - os gestores não discorreram sobre o que pode acontecer. Contudo, o governador João Azevêdo adiantou que os dados e informações estarão no decreto.

Encaminhamentos

O governo defende o Plano Novo Normal, respeitando os critérios de bandeiras nas cidades. Veja a situação de cada município

Em João Pessoa, o toque de recolher determina que as pessoas devem ficar em casa das 22h às 5h. O objetivo é evitar aglomerações e conter o aumento dos casos de Covid-19.

Nesse domingo (21), foram registrados 1.004 novos casos da doença entre os paraibanos. Até agora, 212.286 pessoas foram infectadas, dentre elas, 4.356 morreram. Até o momento, 638.828 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados no estado.
 

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar