Brasil

Banco Central quer que instituições financeiras deixem de vigiar parente de político

Publicado em 26/01/2019 02:00
logo
Por Redação Portal T5
Banco Central quer que instituições financeiras deixem de vigiar parente de político

Pelas regras em vigor desde 2009, pais, filhos, companheiros e enteados de pessoas politicamente expostas são alvo de uma vigilância mais rigorosa dos bancos, com o objetivo de monitorar e coibir lavagem de dinheiro com origem em desvio de recursos públicos.

Pelas novas propostas, que entraram em consulta pública na semana passada e fazem parte de uma atualização das normas que o Banco Central impõe aos bancos e demais instituições financeiras para combater essa prática, esse monitoramento deixaria de ser obrigatório. 

Além disso, segundo informa a Folha de S. Paulo, o BC propõe ainda derrubar a exigência de que todas as transações bancárias acima de R$ 10 mil sejam notificadas ao Coaf.

Leia Mais:

+ Cantor sertanejo é detido pela PF com luneta para rifles

+ Flávio Bolsonaro diz que não vai renunciar ao cargo de senador

+ Debates presidenciais e reality shows foram os mais comentados nas redes sociais em 2018

+ Damares irrita holandeses ao dizer que pais são instruídos a "massagear sexualmente as crianças"

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar icone Play