Polícia

Assessor de Vital do Rêgo é alvo da Lava Jato na PB; entenda o esquema investigado

Mandados de busca e apreensão buscam provas dos pagamentos da OAS para Vital

Publicado em 25/08/2020 10:24 Atualizado em 26/11/2020 02:01
logo
Por Redação Portal T5

Foto: Reprodução

A Operação Ombro a Ombro da Polícia Federal investiga pagamento de propina, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, envolvendo empresas na Paraíba e o partido MDB (Movimento Democrático Brasileiro).

Entre os nomes dos acusados pelo Ministério Público Federal, está Alexandre Costa de Almeida, que exerceu o cargo comissionado de assessor durante o mandato de Vital do Rêgo no Senado, em 2011.

Vital do Rêgo Filho (MDB) não é alvo de nenhum dos 15 mandados de busca e apreensão cumpridos nesta terça-feira (25), durante a operação Ombro a Ombro, mas é citado no processo pela Justiça. Vital atualmente exerce o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). 

Além do assessor do político, outros supostos intermediários e operadores de Vital estão entre os alvos dos mandados. 

De acordo com a juíza federal Gabriela Hardt, "O Ministério Público Federal requereu a suspensão do cumprimento do mandado constante no evento 20.4, direcionado à estação de trabalho ocupada por Alexandre Almeida no gabinete de Vital do Rego no TCU".

Os mandados de busca e apreensão buscam provas dos pagamentos da OAS para Vital. Ele é suspeito de, ainda enquanto senador, ter pedido propina para encerrar a CPI da Petrobras no Senado, em 2014. O político era o presidente da CPI.

As investigações da 73ª fase da Lava Jato ainda apontam uma Casa Lotérica, posto de combustíveis e um centro de ensino entre as acusações. 

O esquema começou a ser investigado após a delação de Léo Pinheiro, executivo da OAS.

O Portal T5 não conseguiu contato com a defesa do político.

icon whatsapp
Receba as últimas notícias de João Pessoa em qualquer lugar. Começar