sexta-feira, 27 de novembro de 2020
Busca

Política

Política

Defesa de Vital do Rêgo se diz 'indignada' com investigações da Lava Jato

Nota foi divulgada nessa terça-feira (25)

Por Redação Portal T5

09h03 - Atualizado 26/08/2020 às 09h17
Foto: Divulgação

Após ser citado na 73º fase da Operação Lava Jato, realizada nessa terça-feira (25), a defesa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rêgo Filho, disse que foi surpreendida com a notícia das investigações e que houve usurpação de competência do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em nota divulgada na terça-feira, a defesa afirma que a denúncia estava em investigação há quase cinco e "dois procuradores-gerais da República – Rodrigo Janot e Raquel Dodge – não vislumbraram elementos para formalizar o pedido de ação penal". 

A defesa ainda afirma que não houve autorização do Supremo para abertura do inquérito. "Causa estranheza e indignação o fato de que a denúncia nasceu de um inquérito, aberto sem autorização do STF, Corte esta que ainda aprecia recurso contra a remessa da investigação para Curitiba/PR, em uma clara usurpação da competência do Supremo Tribunal Federal."

A operação 

Mandados da Operação Ombro a Ombro, desdobramento da Lava Jato, foram cumpridos na manhã da terça-feira, em João Pessoa, Campina Grande e Cabedelo. De acordo com a assessoria da Polícia Federal, 15 ordens judiciais mobilizaram 60 policiais federais.

Saiba mais: Assessor de Vital do Rêgo é alvo da Lava Jato na PB; entenda o esquema investigado

Além das cidades paraibanas, ordens judiciais também são cumpridas em Brasília, no Distrito Federal. As investigações do Ministério Público Federa contam com apoio dos outros estados.

Vital do Rêgo Filho não foi alvo de nenhum dos mandados, mas teve bens apreendidos pela Justiça.

Veja o vídeo: