TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
Fiocruz desmente

Vídeo: presidente da ALPB cita FAKE NEWS sobre como se proteger contra a Covid-19

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) esclareceu que são falsas as informações repassadas pelo parlamentar. Conteúdo vem sendo compartilhado na internet.

Por Redação Publicado em
ADRIANO GALDINO 29 04 2020
Adriano Galdino Adriano Galdino Foto: Reprodução / Facebook / ALPB

Em nota divulgada em seu site oficial, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), esclarece que é FALSA a mensagem que vem circulando no WhatsApp e em redes sociais, atribuída à instituição, com orientações de como se proteger contra a Covid-19.

O curioso é que o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado Adriano Galdino (PSB), no encerramento da sessão extraordinária realizada nesta quarta-feira (29) utilizou-se das falsas recomendações.

Por meio de videoconferência, o parlamentar defendeu que as informações deveriam ser repassadas às respectivas bases dos deputados (grupo composto por prefeitos, políticos e afins) para que, posteriormente, uma cartilha com as informações seja confeccionada e distribuída “ao povo paraibano”.

Confira

Ver essa foto no Instagram

O deputado Adriano Galdino, presidente da ALPB, citou informações consideradas falsas pela Fiocruz no tocante a orientações de como se proteger contra a Covid-19. Em nota, a fundação disse que trata-se de FAKE NEWS. ???? Saiba mais no @portalt5

Uma publicação compartilhada por Portal T5 (@portalt5) em 29 de Abr, 2020 às 12:19 PDT

O que diz a Fiocruz, na íntegra

Abaixo reproduzimos as informações falsas divulgadas na mensagem e os seus respectivos esclarecimentos:

  •  O coronavírus é maior do que o normal; o diâmetro da célula é de 400 a 500 nanômetros e, por esse motivo, qualquer máscara impede a sua entrada no organismo. FALSO, as máscaras comuns têm poros bem maiores do que isso. O uso de máscara é recomendado apenas em alguns casos. Veja mais detalhes mais nossas perguntas e respostas.
  • O coronavírus, quando cai sobre uma superfície de metal, permanece vivo durante 12 horas. Lavar as mãos com água e sabão é suficiente para destruí-lo. FALSO, as pesquisas até o momento indicam que o vírus sobrevive por mais tempo nas superfícies, mas lavar as mãos com frequência é realmente um modo correto de evitar sua propagação. Leia mais em nossas perguntas e respostas.
  • O coronavírus, quando cai sobre um tecido, permanece vivo durante nove horas, portanto, lavar a roupa ou colocá-la ao sol durante duas horas será suficiente para eliminá-loFALSO, as roupas usadas por doentes, pessoas que cuidam deles ou têm contato têm de ser lavadas após cada uso, com os devidos cuidados para protegem quem as manipula antes da lavagem.
  • O vírus só vive nas mãos durante 10 minutos. Assim, usar um desinfetante em gel também o eliminará. FALSO, o vírus pode durar mais. É fundamental lavar as mãos com frequência. Leia mais em nossas perguntas e respostas.
  • O vírus exposto a uma temperatura de 26° C a 27° C morreFALSO, não há comprovação científica sobre isso.
  • A água que esteja exposta ao sol poderá ser consumida sem qualquer perigoFALSO, não há embasamento científico sobre isso - e água parada pode ser foco de outras doenças, como a dengue.
  • Evitar comer gelados ou pratos frios; os alimentos quentes são mais seguros, visto que o calor elimina o vírusFALSO, não há qualquer comprovação científica disso. A alimentação saudável é importante, independentemente da temperatura.
  • Gargarejar com água morna ou salgada mata os vírus que se alojam nas amígdalas e evita que passem para os pulmões. FALSO, não há comprovação científica sobre isso. Leia mais em nossas perguntas e respostas.

A Fiocruz reforça a importância de compartilhar informações de fontes confiáveis e seguras. No Portal Fiocruz é possível encontrar notícias e orientações sobre a doença e sobre o vírus: fiocruz.br/coronavirus.

Adriano Galdino

Procurada pelo Portal T5, a assessoria de comunicação do parlamentar afirmou que Adriano deve se posicionar sobre na próxima sessão. 

"Ao final da sessão extraordinária desta quarta-feira, 29, o presidente Adriano Galdino, recebeu uma informação via aplicativo de mensagem de uma fonte que julgou confiável e no sentido de levar uma boa notícia aos demais deputados, acabou publicizando em sua fala final. Logo após o término da sessão, o presidente foi alertado que se tratava de uma informação equivocada atribuída a Fiocruz e se desculpou com os deputados através de mensagem. Adriano Galdino, conhecido por combater as fake news aproveitou para deixar um alerta que todos estão sujeitos a serem levados ao erro e reforçou a necessidade de checagem de informações, mesmo que considere ter recebido de uma fonte confiável", diz o texto encaminhado pela assessoria.



Relacionadas