segunda-feira, 18 de novembro de 2019
Busca

Política

Política

"Ninguém é obrigado a continuar ministro" diz Bolsonaro sobre Guedes

Em visita ao Nordeste, o presidente comentou as declarações do ministro da Economia sobre abandonar o Governo caso seja aprovada uma "Reforminha"

Por Redação Portal T5

09h08
Foto: Pedro Ladeira/ FolhaPress

Em Recife, o presidente Jair Bolsonaro comentou nesta sexta-feira (24) as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, dadas à revista 'Veja', mais cedo, sobre a possibilidade de abandonar o Governo caso seja aprovada uma "Reforminha", ou seja, uma Reforma da Previdência sem o impacto esperado pelo Governo.

Questionado, o Bolsonaro afirmou que concordava com a posição do ministro, já que a aprovação de um texto muito diferente da proposta original poderia ser uma "catástrofe".

"Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu. Logicamente, ele está vendo uma catástrofe, e é verdade, concordo com ele. Se nós não aprovarmos uma reforma realmente muito próxima da que nós enviamos para o Parlamento", declarou o presidente.

Bolsonaro ainda comentou sobre a possibilidade do Senado alterar a decisão da Câmara, para manter no Ministério da Justiça o COAF.

"O Senado vai fazer sua parte. Se mexer, volta para Câmara, e pode caducar a medida provisória. Espero que o Senado não altere nada e que suba para a sanção presidencial", afirmou.

Jair Bolsonaro chegou ao Recife logo depois das nove da manhã. Sob um forte esquema de segurança, seguiu de helicóptero até o Instituto Ricardo Brennan - evitando passar pelos manifestantes contrários e a favor de sua presença. Esta foi a sua primeira visita ao Nordeste como presidente.

Em seguida, o presidente participou da reunião do Conselho Deliberativo da SUDENE, a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste.

Governadores da região e de Minas gerais ouviram o anúncio de um acréscimo de quatro bilhões de reais para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, que irá passar para vinte e sete bilhões e setecentos bilhões de reais.

Bolsonaro aproveitou a ocasião para pedir o apoio dos Governadores, quase todos da oposição, à Reforma da Previdência.

"Nós temos um desafio à frente, que não é meu, é dos senhores, governadores e prefeitos, independente da questão partidária. É a Reforma da Previdência. Sem a qual não podemos sonhar em botar em prática parte do que estamos acertando aqui neste momento", defendeu.

Do Recife, o presidente viajou para Petrolina, onde entregou mais de quatrocentas unidades do programa "Minha Casa, Minha Vida".

SBT