Paraíba, segunda-feira, 24 de junho de 2019
30° C
Busca

Política

Política

Comissão da Câmara convoca Guedes a comparecer em debate sobre Previdência

Por Redação Portal T5

05h00 - Atualizado 08/05/2019 às 16h17

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara decidiu convocar o ministro Paulo Guedes (Economia) para discutir no colegiado a reforma da Previdência. O ministro havia sido convidado para a reunião desta quarta-feira (8) da CFT, mas ficou acordado com líderes da Casa que iria apenas à comissão especial que trata da reforma.

Insatisfeitos, membros do colegiado que trata de tributos convocaram então o ministro para uma audiência no dia 4 de junho. Em caso de convocação, Guedes é obrigado a aparecer.
Membros da comissão reclamam que, desde abril, tentam, de forma não impositiva, realizar uma audiência com Guedes.

Nesta terça (7), o ministro enviou uma carta ao colegiado agradecendo o convite e informando que, na tarde desta quarta, participará de discussão na comissão especial da reforma da Previdência. Ele, então, sugeriu que o encontro na comissão de finanças e tributação fosse no dia 12 de junho.

Guedes enviou o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, que é ex-deputado federal e respondeu aos questionamentos dos parlamentares por quase três horas.
O requerimento foi apresentado pelo deputado Fernando Monteiro (PP-PE), que é próximo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia DEM-RJ). "Se a comissão não passar um recado ao ministro é um desrespeito à comissão", completou o deputado do PP. A convocação foi aprovada em votação simbólica, mas com três votos contra.

O ministro chegou à Câmara nesta quarta acompanhado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se sentou à mesa da comissão, como aconteceu na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

Naquela reunião, porém, a presença de Maia não foi capaz de impedir que o caos se instalasse na comissão quando o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) chamou Guedes de "tchutchuca". O ministro respondeu "tchutchuca é a vó" e a sessão implodiu.

O petista, que não é membro da comissão especial, está na reunião do colegiado que ouve o ministro -não membros têm direito de participar.

Desta vez, porém, a base governista se mobilizou para tentar blindar o ministro. Na CCJ, o governo recebeu críticas por ter deixado Guedes receber crítica após crítica da oposição, que havia se inscrito primeiro.

Na comissão especial, deputados da base compareceram à sessão com antecedência para colocar seus nomes, e os questionamentos devem ser feitos de maneira alternada.

Folhapress

Leia mais: Curto-circuito pode ter provocado incêndio em residência no Castelo Branco

Na PB, Vasilhame de água natural de 20 litros ganha selo fiscal obrigatório

Familiares se despedem de mototaxista paraibano assassinado na Rocinha

Siga nosso Instagram Facebook e fique bem informado!