Paraíba, sexta-feira, 22 de março de 2019
30° C
Busca

Política

Política

“Toda pessoa que é investigada tem o seu direito de defesa”​, diz Cida Ramos sobre Operação Calvário

"Eu aluguei uma sala, como qualquer outra pessoa", afirmou a deputada.

Por Lillyane Rachel

14h43 - Atualizado 14/03/2019 às 15h25
Reprodução: Internet

A deputada estadual, Cida Ramos, falou sobre o pedido do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) de verificar seu escritório, nesta quinta-feira (14), dentro da Operação Calvário deflagrada pelo Ministério Público e investiga núcleos de uma organização criminosa.

Leia Mais: Operação Calvário: Presidente da ALPB diz que decisão da secretária se pronunciar é “pessoal”

Diante disso, Cida declarou que a investigação não é direcionada a ela e não houve apreensão: "Eu aluguei uma sala, como qualquer outra pessoa, registrado em cartório, tudo garantido. Que fique bem claro: a sala não foi alvo de busca e apreensão. Qualquer deputado, 90% tem escritórios que são pagos, dentro da lei, por uma verba chamada Viap, concedida pela Assembleia. O Gaeco solicitou olhar a sala, mas nada foi retirado. A investigação não é contra Cida Ramos. A sala foi alugada como qualquer outra pessoa.”, afirmou.

Ela complementou ainda dizendo que a sala foi alugada dentro da legalidade, que o investigado é o dono da sala e que “toda pessoa que é investigada tem o seu direito de defesa.”