sexta-feira, 24 de janeiro de 2020
Busca

Política

Política

"Não há como falar do Brasil, sem falar no Nordeste", diz Bolsonaro durante discurso em Campina Grande

Nesta segunda-feira (11), Bolsonaro inaugurou o Complexo Habitacional Aluízio Campos, no Agreste paraibano.

Por Redação Portal T5

12h06 - Atualizado 11/11/2019 às 15h33
Foto: Reprodução/YouTube/TVBrasilGov

Durante discurso realizado na manhã desta segunda-feira (11), em Campina Grande, no Agreste paraibano, o presidente Jair Bolsonaro ressaltou a importância da região Nordeste diante de todo o país.

"A região mora no coração de todo mundo, o Nordeste é uma parte importante do nosso país. Eu sou de São Paulo, onde tem o maior número de nordestinos. Não tem como falar sobre o nosso futuro, em qualquer lugar do Brasil, sem falar no Nordeste e nesse povo maravilhoso", afirmou.

Ele falou ainda sobre a relação do país na perspectiva internacional. "O Brasil está recuperando sua confiança no mundo. Na nossa última viagem para o Japão, China, Catar e Arábia Saudita foi um sucesso. Muitos anunciaram investimento em nossa pátria. Grande parte disso virá para o Nordeste", garantiu.

Vale lembrar que durante café da manhã com jornalistas, em julho deste ano, o presidente foi flagrado dizendo informalmente ao ministro Onyx Lorenzoni, que "daqueles governadores de 'Paraíba', o pior é o do Maranhão". A TV Brasil captou o áudio.

A declaração gerou polêmica e ele foi acusado de ser preconceituoso. À época, ele negou o caso. “Eu amo o Nordeste. Afinal de contas, a minha filha tem, em suas veias, sangue de cabra da peste. Não há divisões entre nós, sexo, raça, cor, religião ou região. Somos um só povo", disse.

Nesta segunda-feira (11), Bolsonaro inaugurou o Complexo Habitacional Aluízio Campos, obra que tem as digitais de Dilma Rousseff (PT) e de Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), já que o paraibano foi ministro das Cidades do governo da petista. Mais de 16 mil moradores recebem as 4 mil casas após cinco anos de espera.

Veja mais:

Bolsonaro é recebido por políticos, apoiadores e manifestantes em Campina Grande

+Vice-governadora da Paraíba é vaiada durante evento com Bolsonaro

Moradias Com aporte de R$ 262,5 milhões da União, o Conjunto Habitacional Aluízio Campos será o lar de cerca de 16 mil pessoas. Construído com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) para famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil, o Conjunto Habitacional Aluízio Campos tem proporções de um grande bairro. Possui ao todo 4,1 mil unidades habitacionais, sendo 3.012 casas e 1.088 apartamentos avaliados em R$ 61 mil cada.

As casas são do tipo térrea, com 43,34 m², sala para dois ambientes, um quarto para solteiros e um quarto para casal, além de cozinha, banheiro e uma área de serviço externa. Os apartamentos seguem a mesma linha e possuem um pouco a mais de área construída, chegando 48,52 m². Todos são equipados com kits de energia solar.

O Aluízio Campos reservou uma parte de suas moradias a famílias de pessoas com deficiência e com bebês vítimas de microcefalia. O empreendimento tem 70 ruas asfaltadas e duas avenidas com acesso à BR-104. Nas áreas de educação e saúde, foram investidos recursos para a construção de três creches, duas escolas, dois ginásios cobertos, duas Unidades Básicas de Saúde (UBS), um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e dez praças com academias de saúde.