domingo, 19 de janeiro de 2020
Busca

Política

Política

Em visita a Campina Grande, Bolsonaro inaugura obra anunciada por Dilma Rousseff

Nesta segunda (11), Bolsonaro inaugurou o Complexo Habitacional Aluízio Campos, com quatro mil moradias

Por Redação Portal T5

06h28 - Atualizado 11/11/2019 às 11h37
O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), Jair Bolsonaro (PSL), Cássio Cunha Lima e Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil.
O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), Jair Bolsonaro (PSL), Cássio Cunha Lima e Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil. Foto: Reprodução/TV Brasil

Nove meses depois de ser empossado presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PSL) desembarca pela primeira vez na Paraíba como chefe do Poder Executivo Nacional.

A última vez em que esteve no estado foi durante a realização do Maior São João do Mundo em 2018, ainda quando ensaiava estar na disputa, mesmo sendo despontado um favorito para os brasileiros que queriam derrotar o "petismo".

Durante a campanha, já como candidato, ainda ensaiou vir ao estado, mas foi impossibilitado por causa da tentativa de homicídio que sofreu durante uma agenda em Minas Gerais.

Nesta segunda-feira (11), Bolsonaro inaugurou o Complexo Habitacional Aluízio Campos, obra que tem as digitais de Dilma Rousseff (PT) e de Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), já que o paraibano foi ministro das Cidades do governo da petista. Mais de 16 mil moradores recebem as 4 mil casas após cinco anos de espera.

Por volta de 9h, o presidente seguiu para o Conjunto, onde se encontrou com o prefeito Romero Rodrigues (PSD) e outras lideranças políticas do estado, dentre elas o clã Ribeiro, para a entrega da obra, tão aguardada pelos campinenses.

Foto: Wallison Bezerra/RTC

Manifestação 

Entre os protestos, um grupo de condutores reclama contra o decreto da Lei 13.855, que altera o Código de Trânsito Brasileiro. A mudança torna infração gravíssima o transporte “pirata” de passageiros, incluindo de estudantes. “Estamos aqui para que ele reveja o decreto que proíbe a gente trabalhar. Somos todos Paraíba com muito orgulho, que ele seja bem recebido, nós só queremos trabalhar”, disse um dos motoristas que protestavam no local, com mais de 15 veículos parados.

Polêmicas

Antes mesmo de desembarcar na Paraíba, Jair Bolsonaro precisou lidar com algumas polêmicas.

Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Campina Grande

A primeira partiu por parte da executiva estadual do Partido dos Trabalhadores. Em nota, o presidente Jackson Macêdo lamentou a coincidência de que a obra anunciada por Dilma Rousseff, ex-presidente da República, fosse entregue por uma pessoa que é “contra as políticas públicas de inclusão de governos petistas”. 

Nesse domingo (10), o deputado Julian Lemos, único paraibano com um mandato federal pela sigla de Bolsonaro, o PSL, disse que não iria participar do que chamou de Teatro político, já que a solenidade contaria com as presenças do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP) e do prefeito Romero Rodrigues (PSD).

Veja também:

Com irreverência, Erly do Povo estreia na TV Tambaú e garante informação de qualidade ao público paraibano