domingo, 17 de novembro de 2019
Busca

Política

Política

Operação prende 11 vereadores suspeitos de forjarem congresso para viajar às custas da Câmara de Santa Rita

A Operação Natal Luz teve apoio da Polícia Civil de Sergipe e do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul.

Por Redação Portal T5

05h44 - Atualizado 05/11/2019 às 20h51
Foto: Edilane Ferreira/Paraíba Já

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) prendeu em flagrante na madrugada desta terça-feira (5) onze vereadores e um servidor público da Câmara Municipal de Santa Rita, na Grande João Pessoa.

A Operação Natal Luz teve apoio da Polícia Civil de Sergipe e do Ministério Público do Estado do  Rio Grande do Sul. De acordo com as investigações, os políticos são suspeitos de forjarem um congresso para justificar o deslocamento para a cidade de Gramado no Rio Grande do Sul, com o uso de dinheiro público.

A viagem ocorreu durante a programação do 'Natal Luz', evento com temática natalina realizado na cidade de Gramado (RS). As prisões em flagrante aconteceram às 3h, após o desembarque no Recife (PE) e o trajeto de volta para João Pessoa, próximo ao distrito de Mata RedondaVereadores e acompanhantes foram encaminhados para a Central de Polícia, no bairro do Ernesto Geisel.

Panfleto do evento mostra a programação do curso datas e o local na cidade de Gramado (RS).
Panfleto do evento mostra a programação do curso datas e o local na cidade de Gramado (RS). Imagem: Divulgação/ Polícia Civil da Paraíba

Confira a lista dos vereadores presos:

1 – Anesio Alves de Miranda Filho

2 – Brunno Inocencio da Nóbrega Silva

3 – Carlos Antônio da Silva

4 – Francisco de Medeiros Silva

5 – Diocélio Ribeiro de Sousa

6 – Francisco Morais de Queiroga

7 – João Evangelista da Silva

8 – Ivonete Virgínio de Barros

9 – Marcos Farias de França

10 – Sérgio Roberto do Nascimento

11 – Roseli Diniz da Silva

Os familiares dos políticos foram liberados após serem ouvidos pelo delegado. Já os parlamentares permanecem presos e aguardam audiência de custódia.

Apesar das prisões terem acontecido em flagrante, o presidente da Câmara Municipal, Anésio Miranda Filho (PSB), acusou que a ação policial "não preencheu os requisitos constitucionais" e que não foi expedido mandado judicial. Ele ainda confirmou à TV Tambaú, que as diárias custaram em torno de R$ 4 mil a R$ 5 mil, para cada parlamentar.

De acordo com o Portal da Transparência, em 2019, já foram gastos R$ 585.492,24 em diárias na Câmara. Neste último evento foram pagos R$ 69 mil com os custos de hospedagens dos vereadores.

As investigações iniciaram após uma denúncia anônima: “Recebemos a informação e documentação da contratação de uma empresa do estado de Sergipe para a realização de um congresso em Gramado, no Rio Grande do Sul, para os vereadores de Santa Rita”, disse o delegado Allan Murilo Térruel, da Delegacia Especializada de Repressão ao Crime Organizado (Draco), ao Paraíba Já.

Ouça a entrevista sobre o momento da prisão concedida ao repórter João Thiago, da TV Tambaú, pelo delegado Allan Murilo Térruel:

carregando player...