Paraíba, quarta-feira, 16 de outubro de 2019
30° C
Busca

Política

Política

Tasso Jereissati segue com planos de candidatura à presidência do Senado

O ex-presidente nacional do PSDB tem Renan Calheiros (MDB-AL) como principal adversário nestas eleições

Por Redação Portal T5

12h15
Tasso Jereissati já foi presidente nacional do PSDB
Tasso Jereissati já foi presidente nacional do PSDB Foto: Cristiano Mariz/VEJA

O ex-presidente nacional do PSDB Tasso Jereissati segue como um dos cotados a assumir a presidência do Senado Federal. O atual presidente da casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), não conseguiu renovar o mandato no pleito de 2018 e deixa a cadeira vaga para um novo nome, nas eleições que devem acontecer no início de fevereiro.

Tasso revelou os planos de concorrer ao cargo de presidente do Senado ainda em dezembro, mas mesmo um mês depois ainda permanece como um dos prováveis candidatos.

Na condição de senador, em seu segundo mandato não consecutivo, ele conseguiu aprovar projetos importantes, como o PLC 6869/2010, que define como crime a venda de bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes, e o PLS 193/2008, que decreta o aumento da rentabilidade do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Também ex-governador do Ceará por três oportunidades, Tasso já sabe quem deve enfrentar nas eleições para o Senado. O principal adversário do cearense é Renan Calheiros (MDB-AL), que já foi presidente da casa entre 2013 e 2017. Outros candidatos declarados são Álvaro Dias (Podemos-PR), Espiridião Amin (senador-eleito PP-SC), Major Olímpio (senador-eleito PSL- SP), Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Simone Tebet, também do MDB (MS), que pode entrar com candidatura avulsa.

Segundo o tucano, sua principal bandeira para as eleições será a mudança. “ Essa troca de poder entre os mesmos já vem há mais de 20 anos. É sempre o mesmo grupo ou sub-grupo”, destacou ele em entrevista à Revista Crusoé.

Leia também:

Mais de 70% dos nordestinos são favoráveis a redução da maioridade penal 

Governo Bolsonaro não pensa em nova CPMF, afirma secretário da Receita Federal