terça-feira, 19 de novembro de 2019
Busca

Política

Política

Prefeito de Cabedelo é preso suspeita de liderar esquema de corrupção e compra de mandato, diz PF

Foram cumpridos 11 mandados de prisão preventivas, 15 sequestros de imóveis e 36 de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba.

Por Redação Portal T5

12h02 - Atualizado 03/04/2018 às 15h03
Agentes da Polícia Federal (PF) em frente à residência de Leto Viana, em Cabedelo.
Agentes da Polícia Federal (PF) em frente à residência de Leto Viana, em Cabedelo. Imagem/EwertonCorreia

Foi deflagrada na manhã desta terça-feira (03), a Operação Xeque-Mate. A ação da Polícia Federal (PF) aconteceu em parceria com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e tem como objetivo desarticular esquema de corrupção na administração pública de Cabedelo/PB, no âmbito dos poderes executivo e legislativo municipal.

+ Renúncia de ex-prefeito de Cabedelo pode ter sido ‘comprada’ por Leto Viana, diz PF

Foram cumpridos 11 mandados de prisão preventivas, 15 sequestros de imóveis e 36 de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Além dos mandados, a justiça decretou o afastamento cautelar do cargo de 85 servidores públicos, entre eles o prefeito de Cabedelo, Leto Viana (PRP), o vice-prefeito e o presidente da Câmara Municipal.

Leto é levado para sede da PF, em Cabedelo.
Leto é levado para sede da PF, em Cabedelo. Imagem/Vítor Feitosa

Detidos -  Durante a operação, além de Leto Viana, foram presos o presidente da Câmara Municipal, Lúcio José do Nascimento Araújo, a vereadora e primeira-dama, Jacqueline Monteiro França, e os vereadores Tércio de Figueiredo Dornelas Filho, Rosildo Pereira de Araújo Júnior (Júnior Datele), Antônio Bezerra do Vale Filho, como também Marcos Antônio Silva dos Santos, Inaldo Figueiredo da Silva, Leila Maria Viana do Amaral, Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho e Adeilson Bezerra Duarte.

Durante as investigações, ficou comprovado a participação das principais autoridades públicas do município que se beneficiavam do esquema de diversas formas, tendo registrado aumento patrimonial espantoso, muito acima do condizente com sua renda. Somente na aquisição de imóveis nos últimos cinco anos, verificou-se que um agente político envolvido movimentou mais de 10 milhões de reais à margem do sistema financeiro oficial.

Polícia na casa do empresário paraibano Roberto Santigo, em João Pessoa.
Polícia na casa do empresário paraibano Roberto Santigo, em João Pessoa. Imagem/Reprodução

Empresário - Dentro da Operação Xeque-Mate, policiais federais estiveram na residência do empresário paraibano Roberto Santigo.

Os agentes passaram aproximadamente 40 minutos dentro da residência de Roberto, que é proprietário de dois grandes shoppings na capital. Os policiais saíram da casa com dois malotes, destinados à sede do órgão, em Cabedelo.

+ Empresário paraibano é um dos alvos da Polícia Federal

+ Polícia Federal e Gaeco deflagram operação e prendem políticos em Cabedelo

+ Renúncia de ex-prefeito de Cabedelo pode ter sido ‘comprada’ por Leto Viana, diz PF

Coletiva de imprensa realizada na sede da Polícia Federal, em Cabedelo, sobre a Operação Xeque-Mate.
Coletiva de imprensa realizada na sede da Polícia Federal, em Cabedelo, sobre a Operação Xeque-Mate. Imagem/Vitor Feitosa

Compra de mandato - Na coletiva de imprensa realizada na sede da Polícia Federal (PF) foi confirmada a possível compra do mandato do ex-prefeito Luceninha, em 2013, por Leto Viana, com apoio do empresário paraibano Roberto Santiago.

A informação foi dada pelo procurador-geral de Justiça Seráphico da Nóbrega.

Aproximadamente R$ 5 milhões foram pagos a Luceninha, que também deve ser investigado. Durante a Operação Xeque-Mate, R$ 300 mil foram apreendidos e a Justiça acredita que, pelo menos, R$ 30 milhões tenham sido desviados dos cofres públicos.