Paraíba, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
26° C
Busca

Paraíba

Política

Presidente do Cofeci elogia escolha por Moro do novo presidente do Coaf

O Cofeci, na condição de órgão controlador e fiscalizador das atividades imobiliárias no Brasil, faz parte do Coaf desde a sua fundação, há vinte anos.

Por Redação Portal T5

08h48

O presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, João Teodoro, esteve na tarde desta quinta-feira (6) com o juiz Sérgio Moro, durante reunião do futuro ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro com membros do Conselho de Controle de Atividades Financeiras.

O Cofeci, na condição de órgão controlador e fiscalizador das atividades imobiliárias no Brasil, faz parte do Coaf desde a sua fundação, há vinte anos. “A primeira Resolução do Coaf nº 01/99 trata justamente do trabalho desenvolvido em parceria conosco, tudo com base na Lei 9613/98. Essa Resolução foi posteriormente substituída por outra, de nº 15/­­2007 e minudenciada pela Resolução-Cofeci nº 1336/2014”, lembrou João Teodoro.

Órgão de suma importância
A visita de cortesia do futuro ministro Sergio Moro teve por objetivo apresentar o auditor da Receita Federal Roberto Leonel como o novo presidente do Coaf e conhecer a estrutura da Instituição. Na ocasião, nenhum assunto técnico foi tratado, mas algumas reivindicações foram feitas por conselheiros do Coaf.
Para João Teodoro, na prática não muda muito a vinculação do Coaf - atualmente ligado ao Ministério da Fazenda - ao MJ. “A percepção deixada pelo novo ministro é a de que o Órgão é de suma importância numa das suas prioridades, que é o combate à corrupção e ao crime organizado, atividades muito ligadas à lavagem de dinheiro, daí por que ser a sua escolha digna de elogios”, afirmou João Teodoro.

Sobre Roberto Leonel
O novo presidente do Coaf é auditor-fiscal, trabalha na área de inteligência da Receita Federal e comanda o Escritório de Pesquisa e Investigação (Espei) da 9ª Região Fiscal, localizado em Curitiba (PR), onde teve atuação decisiva para o sucesso da Operação Lava-Jato, por meio do cruzamento de dados financeiros.