Paraíba, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
20° C
Busca

Política

Política

Membros do PSL anunciam desfiliação em massa após Julian Lemos assumir partido na PB

O anúncio de Julian Lemos como novo presidente da legenda na Paraíba foi feito por Luciano Bivar a pedidos de Jair Bolsonaro.

Por Vitor Feitosa

17h31
Julian Lemos é o novo presidente estadual do PSL.
Julian Lemos é o novo presidente estadual do PSL.

Nesta sexta-feira (12), o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, anunciou oficialmente a destituição do vereador Lucas de Brito da presidência do partido na Paraíba, para que, a pedidos de Jair Bolsonaro, Julian Lemos assumisse a vaga.

O pré-candidato à presidência do Brasil em 2018 se filiou ao PSL para disputar as eleições, e agora busca fortalecer as alianças em todo o país. Bolsonaro, inclusive, por algumas vezes já definiu Julian Lemos como seu homem de confiança no estado.

No entanto, por conta exatamente deste anúncio, diversos membros do Partido Social Liberal da Paraíba estão anunciado a sua desfiliação. O motivo desse ato é que Julian Lemos foi por três vezes acusado de agressão pela irmã e pela ex-mulher, sendo preso em flagrante em uma das ocasiões.

Um dos membros da Juventude PSL, Bismarque Ferreira, divulgou sua desfiliação afirmando que a decisão de Luciano Bivar foi tomada de maneira “arbitrária e impositiva”, dizendo ainda que ela é fruto de uma articulação movida pelas práticas da “velha política”.

Ele também afirmou não aceitar “de maneira alguma” a entrada de um “agressor de mulheres” assumindo a presidência estadual do partido, assim como a filiação de Jair Bolsonaro, o qual ele chamou de “padrinho político” de Julian Lemos, e disse que o deputado promove “articulações coronelistas e discursos de ódio”.

O Portal T5 tentou entrar em contato com Julian Lemos, mas não obteve sucesso. Enquanto isso, o vereador Lucas de Brito também confirmou a desfiliação do partido. Ele ainda não revelou qual será a sua nova casa, porém, informações dão conta de que o político foi chamado pelo Patriotas para conversar.

Leia também: 

Vereador de Santa Rita, preso há cinco meses, é solto e vai responder em liberdade

Bolsonaro é acusado de empregar vendedora de açaí como funcionária fantasma