domingo, 15 de dezembro de 2019
Busca

Portal T5

Operação Xeque-Mate

'Xeque-Mate': Leto Viana pagou R$ 200 mil para cada vereador, diz investigação

A sexta fase da Operação Xeque-Mate aconteceu na manhã desta quarta-feira (4)

Por Redação Portal T5

07h20 - Atualizado 04/12/2019 às 08h40
Foto: Ewerton Correia/RTC

Os quatro vereadores investigados pela Polícia Federal receberam a quantia de R$ 200 mil das mãos do então prefeito, Leto Viana, durante as eleições de 2016, segundo a investigação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba. A sexta fase da Operação Xeque-Mate aconteceu na manhã desta quarta-feira (4) e cumpriu oito ordens judiciais.

Segundo as investigações, a quantia paga por Leto aos políticos seria para a composição do grupo de sustentação política no parlamento (legislatura de 2017 a 2020); assumindo, com isso, o compromisso de satisfazer os interesses pessoais do gestor do município, de seus aliados (membros da organização investigada), assim como os desejos anticoncorrenciais do empresário Roberto Santiago.

Os seis investigados são:

  • Wellington Viana França;
  • Roberto Ricardo Santiago Nóbrega;
  • Benone Bernardo da Silva;
  • Jonas Pequeno dos Santos;
  • Janderson Bizerril de Brito;
  • Josimar de Lima Silva.

Por telefone, o vereador Janderson Bizerril de Brito (PSDB) negou as acusações e revelou que já havia sido ouvido por investigadores do Gaeco sobre o assunto. O político disse ao Portal T5 que até as 8h não havia recebido visita de policiais federais em seu apartamento. Os vereadores Benone Bernardo da Silva (PRP), Jonas Pequeno dos Santos (PSDB) e Josimar de Lima Silva (PRP) não atenderam nossas ligações.

Leto Viana e Roberto Santiago respondem judicialmente em prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica, por outros crimes referentes ao esquema de corrupção em Cabedelo. A defesa do ex-gestor disse que desconhece o conteúdo desta fase da operação e não irá se pronunciar.

Início - A Xeque-Mate foi deflagrada no dia 3 de abril de 2018 pela Polícia Federal e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB), com o objetivo de desarticular um enorme esquema de corrupção na administração pública de Cabedelo. Saiba tudo sobre a Xeque-Mate.

Veja mais:

Como presente de aniversário, Gkay pede R$ 10 para hospital do câncer de JP; veja

Atleta paraibano Daniel Azevedo é campeão Sul Americano nos 200 Medley