sexta-feira, 07 de agosto de 2020
Busca

Portal T5

Polícia

Dupla suspeita de aplicar golpes é presa com 22 máquinas de cartão na PB

PRF encontrou suspeitos no município de Alhandra

Por Redação Portal T5

12h37
Foto: Divulgação/PRF-PB

Dois homens suspeitos de aplicar golpes em agências bancárias foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na madrugada deste sábado (1º), no município de Alhandra.

As prisões ocorreram durante abordagem na Unidade Operacional da PRF de Mata Redonda, na BR 101, km 107. O veículo que realiza transporte por aplicativo, foi abordado quando seguia de João Pessoa para o aeroporto de Recife, em Pernambuco. No carro havia três homens, sendo o condutor de aplicativo e dois passageiros que contrataram a viagem.

Ao realizar a busca, os policiais encontraram 22 maquinetas de cartão de crédito registradas em nome de pessoas que não existem e vinculadas a contas de terceiros, além de quatro crachás de supostos funcionários dos Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal com fotos dos detidos e nomes de outras pessoas.

Os dois homens, um de 21 anos e outro de 40 anos, são moradores de São Paulo e já possuem uma extensa ficha criminal, por crimes  de estelionato e tráfico de drogas. Eles confessaram o crime e disseram aos policiais que vieram a João Pessoa unicamente para praticar os crimes e que diversas pessoas foram lesadas em agências da capital paraibana.

Segundo os detidos, eles ficavam na área de autoatendimento das agências bancárias e se aproximavam das pessoas que eles julgavam ser mais fáceis de cair no golpe e ofereciam ajuda para a obtenção de saldo das contas. Para isso, a pessoa inseria o cartão na maquineta, os criminosos colocavam valores para serem debitados e as vítimas digitam a senha. As pessoas lesadas não percebiam a fraude e acabam tendo os valores debitados em suas contas.

O número de pessoas lesadas não foi divulgado.

Segundo as investigações, os dois homens fazem pare de uma quadrilha que atua aplicando golpes em todo país. Eles foram detidos, conduzidos à Polícia Civil e deverão responder pelos crimes de estelionato, associação criminosa, falsificação de documento público e usurpação de função pública. O condutor do veículo, um motorista de aplicativo, foi liberado no local da ocorrência.