sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
Busca

Portal T5

Polícia

Madrasta admite ter dado cerveja para enteada de 6 anos: "Só 3 goles"

A mulher, que é de Pernambuco, prestou depoimento na manhã desta terça-feira (13), em Goiás

Por Carlos Rocha

14h43 - Atualizado 13/08/2019 às 15h47
Foto: Reprodução

Um vídeo que circulou nas redes sociais revoltou moradores da cidade de Bom Jesus de Goiás. Nele uma mulher aparece oferecendo cerveja para sua enteada, um criança de seis anos. O caso resultou em uma investigação e ela foi chamada para prestar depoimento. Na delegacia ela admitiu ter dado a bebida e ainda minimizou dizendo que só teriam sido "três goles".

A mulher  prestou depoimento na manhã desta terça-feira (13), na delegacia de Bom Jesus de Goiás, que fica região sul do estado. A madrasta assumiu ter feito as imagens, admitiu que ofereceu a bebida e disse que acriança "não bebeu em exagero".

+ Alexandre Frota é expulso do PSL

“Timbu de Chernobyl”: visual do mascote do Náutico vira meme após aparição

+ Rede Tambaú de Comunicação anuncia vaga de estágio

No vídeo, é possível ouvir quando a mulher manda a menina virar a lata e comemora. A criança chega a demonstrar ânsia de vômito.

“Vira, vira, vira... É isso aí garota! Filha de peixe, peixinho é”, falou a madrasta, dando risada e cantando.

A madrasta tem 25 anos e, de acordo com informações repassadas pela polícia, ainda não tem advogado. Ela afirmou que o vídeo foi gravado no último sábado (10), quando estava limpando a casa com a ajuda da menina.

No meio da "faxina" a mulher decidiu tomar cerveja, mas, segundo afirma, acabou "por beber demais e não teve controle sobre as coisas que estava fazendo". Ela relatou no depoimento que, de uma caixa de cerveja, deixou apenas duas latas.

Apesar da situação, a mulher alegou que foi a primeira vez que ofereceu bebida à menina e que está "muito arrependida". Declarou que cuida da enteada "com muita responsabilidade" e que a leva e busca na escola.

Por fim, contou que se mudou de Pernambuco para Goiás há alguns meses em busca de trabalho e estava morando com o tio até alguns meses atrás, quando passou a viver com o companheiro e a enteada.

Depoimento do pai

O pai da menina também prestou depoimento na manhã desta terça-feira (13). Afirmou que passou a morar com a atual companheira após se separar da mãe da criança e que ela lhe contou sobre a situação logo após ele chegar do trabalho.

Ele disse que a mulher "sempre cuido muito bem" da enteada e tratou o que ocorreu como um "deslize".

Por fim, o homem afirmou que "até estranhou" o fato da companheira beber, pois ela não ingere bebidas alcoólicas com frequência.

De acordo com o delegado Vinícius Penna, responsável pelo caso, após os depoimentos o casal foi liberado. Ele afirmou que enquadra o caso no Artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que fala sobre fornecer bebida alcoólica para menor. A menina está sob a guarda da avó paterna.

Conselho Tutelar

O Conselho Tutelar também acompanha o caso. Segundo a conselheira tutelar Rosa Maria de Oliveira, assim que ela e a colega de trabalho Laudelina Rodrigues tiveram acesso ao vídeo na segunda-feira (12) começaram a procurar em escolas da cidade por informações que pudessem levar à garota e à identificação dos responsáveis.

“Quando a gente estava em uma escola, recebemos a ligação da secretária de uma outra escola de que a menina estava lá com a madrasta. Chegamos lá e conversamos com ela. Mas o clima estava tenso do lado de fora, porque algumas pessoas revoltadas queriam bater na mulher. Tivemos que pedir auxílio da PM”, informou Rosa.