Paraíba, terça-feira, 17 de setembro de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Polícia

“Meu pai matou, mas Daniel procurou isso”, diz Allana Brittes sobre jogador

Esta é a primeira vez que a jovem fala a respeito do assunto, após deixar a penitenciária de Piraquara, em Curitiba

Por Carlos Rocha

14h26 - Atualizado 13/08/2019 às 15h48
Foto: Divulgação/ SBT

Allana Brittes afirmou que o pai, Edison Brittes, é o autor do assassinato do ex-jogador do São Paulo Daniel Correa, de 24 anos. Mesmo assim, a jovem responsabilizou o atleta pelo homicídio. “Quem procurou por isso foi o próprio Daniel”, disse em entrevista ao Conexão Repórter, do SBT.

Relatou ainda detalhes do assassinato do rapaz, ocorrido em outubro do ano passado, na noite em que ela o convidou para uma festa. Essa foi a primeira vez que Allana falou sobre o assunto, após deixar a penitenciária de Piraquara, em Curitiba, na semana passada.

+ Alexandre Frota é expulso do PSL

“Timbu de Chernobyl”: visual do mascote do Náutico vira meme após aparição

+ Rede Tambaú de Comunicação anuncia vaga de estágio

“Quem matou o Daniel? Meu pai. Mas quem procurou por isso foi o próprio Daniel. A partir do momento que entrou naquele quarto, não pensou nas consequências. Uma mulher casada, embriagada, dormindo. Uma casa de família… Ele pensou que por ser um jogador, por ter dinheiro, podia fazer isso. As coisas não funcionam assim”, frisou.

Edison Brittes contou ter flagrado o atleta com a mulher, Cristiana Brittes. Ela também está presa acusada de homicídio, coação de testemunha e fraude processual.

“Ele não foi a única vítima, no meu ponto de vista. Para mim, a minha mãe foi a maior vítima. Ela estava dormindo na cama dela, no quarto dela, e se uma mulher não tiver privacidade, paz na própria cama, na própria casa, não sei onde vai ter”, salientou. Segundo Allana, sua mãe nunca deu liberdade para o Daniel e tampouco trocou palavras com o rapaz.

“Saí correndo, desci a escada e encontrei minha mãe chorando, pedindo ajuda. Quando entrei no quarto, vi meu pai segurando o Daniel pelo pescoço em cima da cama. Ele estava de cueca, de camiseta, meu pai me disse: ‘Ele estava na cama tentando estuprar sua mãe'”, afirma Allana.