domingo, 26 de janeiro de 2020
Busca

Portal T5

Polícia

Chefe de quadrilha resgatado do PB-1 é condenado a 42 anos de prisão

A condenação é pelo assalto a um shopping de Campina Grande

Por Carlos Rocha

16h49 - Atualizado 08/08/2019 às 16h54
Foto: Reprodução/TV Tambaú

Romário Gomes Silveira, conhecido como Romarinho, apontado como o chefe de uma quadrilha especializada em grandes roubos, foi condenado a 42 anos. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira (8). Ele foi resgatado após a explosão da Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes, o PB-1, no dia 10 de setembro de 2018.

Romarinho também é apontado com chefe da quadrilha que roubou um posto bancário dentro de um Shopping na cidade de Campina Grande no dia 17 de janeiro de 2018. Os outros integrantes da quadrilha também foram condenados em sentença divulgada pela Justiça.

O bando fortemente armado invadiu o Shopping explodiu um caixa eletrônico e arrombou uma joalheria. Pelo menos quatro carros foram usados na ação e eles chegaram a fazer reféns. O ataque ocorreu a menos de 50 metros da delegacia da Polícia Federal, em Campina Grande. O valor roubado gira em torno dos R$ 500 mil.

Romário Gomes Silveira foi julgado à parte dos demais réus. Isso se deu porque Romarinho estava foragido do sistema penitenciário quando teve início o julgamento do processo principal, em que figurava como réu ao lado de outros sete envolvidos nas explosões e roubo dos terminais de autoatendimento do banco no shopping. O processo de Romarinho foi desmembrado do processo principal devido à fuga do PB-1.