segunda-feira, 20 de janeiro de 2020
Busca

Portal T5

Polícia

Ex-marido invadiu casa pelo telhado antes de matar cabeleireira com tiro na cabeça, na Paraíba

Vítima tentou denunciar, mas a delegacia mais próxima estava a 100 km de distância.

Por Dennison Vasconcelos

08h21 - Atualizado 07/08/2019 às 14h28
Vítima foi morta com dois tiros pelo ex-marido, afirma Polícia Civil.
Vítima foi morta com dois tiros pelo ex-marido, afirma Polícia Civil. Foto: Reprodução/Facebook

Rosinete Martins da Silva foi assassinada na tarde dessa segunda-feira (5), com dois tiros na cabeça e tórax, dentro da casa onde morava e possuía um salão de beleza, no município de Juazeirinho, no Cariri paraibano.

Dona de salão de beleza é morta a tiros na PB e ex-companheiro é principal suspeito

Segundo as investigações da Polícia Civil, a cabeleireira de 44 anos foi vítima do ex-marido que não aceitava o fim do relacionamento de 25 anos. José Gomes da Silva Neto, 51 anos, invadiu a casa da ex-esposa pelos fundos e destelhou parte do teto do banheiro do local. Após o crime, o homem se suicidou com um tiro na cabeça.

De acordo com testemunhas, Rosinete havia fechado o salão após receber ameaças do ex-marido, por telefone. A mulher tentou procurar a delegacia da região, mas a unidade de policiamento estava fechada por conta do feriado. A delegacia mais próxima que poderia receber a denúncia da cabeleireira era na cidade de Esperança, a 98,5 quilômetros de distância, conforme a Polícia Civil.

Crime aconteceu na tarde dessa segunda-feira (5), em Juazeirinho, no Cariri paraibano.
Crime aconteceu na tarde dessa segunda-feira (5), em Juazeirinho, no Cariri paraibano. Foto: Blog Heleno Lima

Antes da morte, Rosinete havia conversado com uma amiga que encorajou a denúncia. Em um áudio compartilhado em um aplicativo de mensagens, Rosinete afirma que procurou a Polícia Militar: "Eu liguei e ele (policial) disse que se ele (ex-marido) me perturbasse eu ligasse pra o 190. Vou nem abrir o salão que eu tô com medo". Em outra mensagem ela afirma que iria procurar a delegacia nesta terça-feira (6): "É isso que eu eu vou fazer amanhã. Vou denunciar. Amanhã acho que tá aberto, né ? Eu vou lá. Oito horas na delegacia".

A denúncia não teve tempo de ser realizada. O corpo do casal que deixa três filhos deve ser enterrado no cemitério da cidade nesta terça-feira.

Veja mais:

Criminosos explodem posto de combustível em busca de cofre, na BR-101