segunda-feira, 09 de dezembro de 2019
Busca

Portal T5

Polícia

Casal suspeito de matar idosa para roubar R$ 20 na PB vão para presídio após audiência

Na ação, que aconteceu em Queimadas, a casa das vítimas foi incendiada e, além das facadas, a idosa foi agredida com martelo de carne

Por Carlos Rocha

14h32
Foto: Reprodução/ Whatsapp

Já se encontra recolhido em unidades prisionais o casal suspeito de praticar o crime de latrocínio no último domingo (7), na cidade de Queimadas, interior da Paraíba.  Jorge Luiz Gonçalves da Silva, de 21 anos e Milena da Silva Pachu, de 20 anos, foram submetidos à audiência de custódia, na manhã desta quarta-feira (10) e tiveram a prisão preventiva decretada pela justiça.

Jorge foi transferido para a cadeia publica de Queimadas, enquanto que a mulher foi encaminhada para o Presídio Feminino Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa. Eles são apontados pela polícia como autores do assassinato de uma idosa de 75 anos e tentativa de homicídio contra o marido dela, um idoso de 85 anos. O casal ainda incendiou a casa das vítimas.

Os crimes foram praticados para roubar o dinheiro da aposentadoria das vítimas, mas a quantia levada foi de apenas R$ 20. O casal foi preso pela Polícia Civil na segunda-feira (8), menos de 24 horas, após a descoberta do caso. O corpo da aposentada Maria José, de 84 anos de idade, foi encontrado por vizinhos, com marcas das agressões. Ela vivia em uma casa simples na zona rural de Queimadas, ao lado de seu marido, Graciano Mendes da Silva, de 84 anos. Ele é doente e cadeirante e não morreu no incêndio, porque as chamas foram controladas por populares.

De acordo com informações do delegado Yaslei Almeida, a vítima Maria José da Silva havia contratado Milene como cuidadora. O primeiro dia de trabalho seria no próprio domingo, dia do delito. “Ao invés de prestar os serviços de cuidadora, Milena e seu companheiro Jorge Luiz arquitetaram um plano para roubar os aposentados”, destacou o delegado.

Em depoimento, Milena confessou a participação no crime e disse que a intenção era roubar o dinheiro da aposentadoria dos idosos. Mas, como só encontrou a quantia de R$ 20, Jorge decidiu matar a idosa e incendiar a casa.

“Maria José estava de costas e sofreu um forte golpe da cabeça, desferido por Jorge. Ele usou um instrumento para amaciar carne. Como a idosa não desmaiou, ele passou a esganá-la e, por fim, desferiu golpes fatais com uma faca. Depois, a casa foi incendiada, mas o fogo não se alastrou e não gerou danos de grande proporção”, explicou o delegado.

Ainda de acordo com Yasley Almeida, Milena contou detalhes do homicídio e revelou que Maria da Silva implorou pela vida. “No momento em que Jorge desferia golpes, a vítima dizia ‘Não faça isso comigo, não. Você tem mãe’. Mesmo assim, ele continuou com os golpes até matá-la”, declarou o policial.

A polícia gerou aos suspeitos por meio de depoimentos de vizinhos, que viram o casal saindo da casa no momento dos crimes. Objetos usados nos crimes e roupas que Jorge usava no dia do fato também foram apreendidas e submetidas a perícias.

Para a polícia não há duvidas da participação do casal na pratica dos delitos. O delegado acrescenta que, apesar das prisões realizadas, as investigações ainda terão prosseguimento. “Estamos aguardando a conclusão de perícias para subsidiar ainda mais o inquérito, que será remetido para a Justiça no prazo legal de dez dias”, afirmou. A pena do latrocínio prevê pena que varia de 20 a 30 anos e o de incêndio, de 3 a 6 anos e multa.