Paraíba, segunda-feira, 14 de outubro de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Polícia

Operação do MP interdita bares e prende gerentes na orla de João Pessoa

Na operação denominada "Consumo Seguro", duas pessoas chegaram a ser detidas em flagrante

Por Carlos Rocha

13h18 - Atualizado 11/06/2019 às 14h38
Foto: Reprodução/Web

Uma operação integrada entre Programa de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público do Estado da Paraíba ( MP-Procon), Polícia Civil, Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa) e Receita Estadual interditou bares badalados na orla da Grande João Pessoa, na manhã desta terça-feira (11). Na operação denominada "Consumo Seguro", duas pessoas chegaram a ser detidas em flagrante e encaminhadas à Central de Polícia.

Leia Mais: Matança de cães por envenenamento assusta moradores de município da PB

O proprietário do Praiano Bar, no bairro do Bessa, em João Pessoa e um dos gerentes do Lovina Tropical, na orla de Cabedelo foram autuados. De acordo com o agente de fiscalização do Ministério Público, Rogério Antunes, vários produtos sem condições de consumo foram encontrados em um dos estabelecimentos.

Leia Mais: Site de namoro oferece assinatura vitalícia para ministra Damares

"Vários produtos impróprios para o consumo, sem data de validade, produtos com data de validade vencida, sete produtos sem identificação, então, com tudo isso foi dado voz de prisão em flagrante ao proprietário que se encontrava aqui. Ele foi autuado crime de relação do consumo no artigo 7º e será o mesmo princípio ativo do estabelecimento. O estabelecimento será interditado totalmente pela vigilância sanitária do município de João Pessoa até que o mesmo tome as providências, para que a sua o seu estabelecimento volte a funcionar normalmente. Geralmente é um prazo de quantos dias para que seja tudo regularizado, aí fica a critério da Vigilância Sanitária", disse.

Leia Mais: Apoio à reforma será condicionado à exclusão de pontos, dizem governadores

"Além desse ponto aqui alguns outros estão sendo fiscalizados nesse momento e outras interdições podem acontecer, isso é no caso do Lovina, que também foi interditado totalmente. Foram encontrados produtos também impróprios para o consumo. Lá também o gerente foi conduzido à Delegacia, no caso de prisão em flagrante pelo mesmo crime crime contra relação de consumo", disse.

Leia Também:

+ Band volta a vazar 'spoiler' e mostra quem volta na repescagem do Mastechef 2019

+ Namorada de Rafael Miguel revela que mãe ficou contra ela depois da morte do ator

+ Namorada de Rafael Miguel relata último encontro com o ator

+ Irmã de Rafael Miguel desabafa sobre assassinato da família: "Arma nunca será objeto de defesa"