TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
Críticas

Ricardo ironiza adversários: ‘venci quem se dizia imbatível, o dono do mundo’

Ele também disse não se importa com quem o menospreza.

Por Redação Publicado em
Ricardo Coutinho 04 08

O governador Ricardo Coutinho (PSB) ressaltou, nesta quarta-feira (11), que não se importa com quem o menospreza. “Eu fico muito feliz e satisfeito quando eu vejo alguns nos menosprezarem. Se menosprezo tivesse algum efeito eu não estaria aqui dando entrevista. Eu não teria sido prefeito, provavelmente nem teria sido deputado. Isso não conta muito”, avaliou.

Também defendeu, com rigor, a candidatura do secretário João Azevedo ao Governo do Estado no próximo ano. “Nós já decolamos. A população vai levar em conta, principalmente, o que é que cada um dos candidatos pode fazer pela Paraíba. O candidato que vai representar o projeto que hoje eu represento é o João Azevedo. A população sabe onde a Paraíba está, sabe o que está sendo feito. Dos outros, o que a população sabe? Esses que aí se colocam o que têm concreto para poder apresentar? Tem alguma gestão extraordinária? Tem alguma obra significativa? Não tem nada!”, alertou.

Coutinho ‘rasgou’ elogios ao secretário. “Nós temos a consciência de como a Paraíba mudou nesses seis anos com um perfil adequado, correto íntegro, probo e honesto. Um perfil competente que o secretário João Azevedo tem a oferecer para a Paraíba. Costumo dizer que se eu fiz muito, e modéstia parte fiz, João fará muito mais”, elogiou.


Se menosprezo tivesse algum efeito eu não estaria aqui dando entrevista

Ricardo Coutinho, governador

A especulação de que haveria um distanciamento entre ele o senador Raimundo Lira (PMDB) foi negada. “Ao que me consta não tem nenhum distanciamento. Se teve algum eu não fui comunicado. Mas o mundo é livre para fazer o que bem entende, da forma como queira. Não é essa relação que eu quero para as pessoas. Eu tenho respeito ao senador, creio que a recíproca seja verdadeira, mas isso não impede que ele converse com quem quer que seja. Eu também me dou ao direito de também conversas com muitos agentes, principalmente com aqueles que se identifiquem com esse processo de mudanças que o estado está passando. Mas eu não computo nenhum distanciamento”, esclareceu.

Sobre as críticas feitas recentemente pelo senador José Maranhão (PMDB) de que a candidatura de Azevedo não decolaria, Coutinho foi enfático. “Quem entende de decolar é o próprio senador, afinal ele é aviador. Eu não sou aviador. Ando ali atrás, me segurando”, ironizou.

“Se cansou de dizer que eu não decolaria. Depois que eu não seria reeleito por que quem disputava comigo se dizia imbatível, dono da Paraíba, dono de todo o mundo. É a mesma coisa no próximo ano. Nosso governo tem postura, tem posição”, finalizou.



Relacionadas